20050811

Ainda é só quinta. E estou mesmo a precisar de descansar… não sei porquê, mas hoje estou um bocado irritável. Não consigo apontar nenhuma razão, por isso talvez seja por andar a dormir pouco, ou por passar tempo demais aqui no trabalho.

Mas, vá lá, os updates que estive a fazer hoje de manhã acabaram por correr bem. Durante uma meia hora, estive com medo de ter estragado algo importante… mas acabou por ficar tudo bem. Vamos ver se isto resolve aquele problema.


Vi ontem o 28 Days Later. Gostei, se bem que não é algo “fantástico”. É meio filme de zombies (se bem que estes estão vivos), meio filme de “epidemia rapidíssima de vírus incurável”, meio filme pós-apocalíptico, meio “character study”. Ou seja, somando os 4 meios, dá 2 filmes. 🙂 Não diria que é do realizador do Trainspotting, já que os filmes têm pouco a ver, exceptuando o facto de ambos serem passados no UK.

Supostamente, o meu novo servidor (é o de baixo) vem hoje. Supostamente. Claro que há sempre imprevistos, por isso não estou a pensar muito na coisa. Se vier, já tenho o que fazer esta noite; se não, ficará para quando voltar do fim de semana. Pois é, vou para o Alentejo; acho que já o tinha mencionado aqui. Acho que me vai fazer bem mudar de ares.

O novo blog (o 3º, não é o Way of the Mind) está… bem, eu acho que a ideia é boa, mas falta algo, sobretudo no 2º post. Acho que ainda preciso de atingir a “velocidade de cruzeiro”, e decidir exactamente como é que vou fazer aquilo, qual vai ser o estilo da coisa… Tenho várias ideias, mas ao deitar mãos à obra muitas vezes aquilo que na nossa mente parecia perfeito acaba por não soar tão bem, e vem-nos à cabeça uma ideia melhor. Vamos ver o que é que sai daqui. De qualquer forma, não penso apagar ou alterar drasticamente nada do que já está feito.

Comecei ontem a ler o Autumn, do David Moody. Também parece pós-apocalíptico e com zombies, se bem que estes últimos ainda não deram sinal de… ahem… “vida”. Mas, também, estou no início. Vamos ver – até agora parece bom. E o autor já tem várias sequelas escritas.

Por outro lado, às refeições, em casa, estou a re-ler o Stone of Tears, do Terry Goodkind. Já não o leio desde o milénio passado, e o livro é excelente. Tal como o autor, que hoje em dia seria muito mais respeitado se não fossem as cenas de ultra-violência e tortura do 1º livro, e os paralelos óbvios ao Wheel of Time do Robert Jordan no 2º e 3º livros. Desde o 4º que a série Sword of Truth tem sido completamente única, e são livros difíceis de pousar (excepto o Soul of the Fire – what was he thinking?).

2 Comentários a “20050811”

  1. velvetsatine diz:

    Ah já me lembro desse filme! Vi-o no cinema. N me recordo mt bem mas acho q n gostei mt, ou melhor não gostei nem desgostei.

    O Novo blog? Mas qual?

  2. velvetsatine diz:

    Blog of the Living?