Comunicado aos condutores portugueses

Senhoras e senhores, peço-vos um grande favor: deixem de ter acidentes.

Caso contrário, considero-vos responsáveis pelas constantes perdas de tempo, atrasos e desperdício de gasolina.

Não, não estou minimamente preocupado com as vossas vidas inúteis – tanto quanto posso ver, a maioria de vocês, julgando pela forma como conduz, é um desperdício de oxigénio. Mas, se quiserem, façam isto pela vossa integridade física – já que ela também tende a ser vítima da forma totalmente imbecil como conduzem.

Eu sei que é difícil conduzir um carro. Tem muitas coisas para controlar (quase tantas como um comando de Playstation), é preciso olhar para muitos lados e lidar com muitas variáveis a todo o momento, particularmente “os outros carros”. Para condutores do sexo feminino: sim, outros carros na estrada. Para condutores masculinos: não, eles não estão em competição convosco, e a vossa masculinidade não é afectada se eles passarem antes, ou se chegarem primeiro a algum lado.

Como aposto que “deixem de ter acidentes” é genérico demais para as vossas mentes paleolíticas, aqui vão umas sugestões mais concretas:

  • Deixem de conduzir a 2 milímetros do carro da frente, independentemente da velocidade. Já vimos que a maior parte de vocês tem os reflexos de uma velhinha de 90 anos (excepto as velhinhas de 90 anos, que são ainda piores).
  • Se um idiota se põe à vossa frente, ou faz outra coisa que ofende o vosso orgulho, controlem-se. Deixem o imbecil passar; ele que se vá matar noutro lado. Não entrem em competições estúpidas a tentar bloquear-se um ao outro, que acabam sempre em colisão, em 2 idiotas em coletes a gritar disparates um para o outro, e numa fila interminável de carros parados atrás.
  • Não mudem de faixa sem olhar.
  • Os piscas não são decorativos, como as luzes das árvores de Natal. Servem para avisar os outros inúteis que vocês vão alterar o vosso percurso. Usem-nos.
  • Se chegarem a um sítio em que não têm prioridade, isso não significa que têm de ficar ali vários minutos à espera de que venha um carro, para o deixar passar primeiro, antes de seguir em frente. Se não vem carro nenhum na via com prioridade, avancem, dammit!
  • Deixem de andar a 30 km/h na faixa da esquerda, em auto-estradas e outras vias rápidas.
  • Não são “menos homens” por usarem os travões ocasionalmente. São “menos homens”, sim, por serem uns cretinos inseguros e agirem como criancinhas com necessidade de afirmação, como fazem a todo o momento.
  • Os acidentes dos outros não são coisas assim tão fascinantes – além de que quem viu um, já viu todos. Deixem de ser uns abutres nojentos e andem.

4 Comentários a “Comunicado aos condutores portugueses”

  1. Klawfive diz:

    E acima de tudo, se conduzir não beba – ainda entorna o copo.

  2. Elektra diz:

    Eu acrescentava: “deixem de se armar em orçamentistas e andem” 🙂

  3. Acho que são mesmo abutres. Mais que “fazer o orçamento”, eles olham na esperança de ver sangue.

  4. Apesar de já ter sido escrito há bastante tempo, tenho de tirar o chapéu ao Pedro Timóteo: disse de forma mais sucinta, algumas das coisas que estão neste blog: http://bomcondutor.blogs.sapo.pt .