Hobbies e paixões

Uma questão que, com mais tempo, quero abordar mais profundamente no Way of the Mind é esta: hobbies e paixões.

Quem me conhece sabe que tenho vários/as: jogos de computador e consola… os blogs… aprender coisas sobre informática que não servem directamente para o trabalho… ler fantasia e ficção científica… heavy metal…

Uns são “hobbies” propriamente ditos, isto é, coisas que faço. Outros são mais “gostos”, se bem que a palavra “paixões” seria mais apropriada.

Mas hoje, ao pensar um pouco na questão, apercebi-me de duas coisas:

1- que muita, muita gente não tem nada disto. Oh, claro, as pessoas têm gostos, têm coisas das quais gostam mais, e coisas das quais gostam menos (se bem que cada vez noto mais que muita gente acha que “é cool” não gostar de quase nada, dizer mal de tudo… mas isso já é outra guerra). Mas hobbies? Paixões? No freakin’ way.

Pus-me a pensar nas pessoas que conheço – família, amigos, conhecidos, colegas de trabalho… e é de certa forma assustador pensar que mais de metade não tem qualquer hobby ou paixão. Não têm aquela coisa que adoram fazer nos tempos livres. Aquela coisa sobre a qual gostam de aprender. Aquela coisa que lhes “recarrega as baterias” após a “loucura do dia-a-dia”. O que é que estas pessoas fazem nos tempos livres? Vêem televisão – sem terem sequer uma paixão por ver televisão. Vão às compras – sem terem sequer uma paixão pelo que compram. Ou, então, arranjam maneira de não ter tempos livres…

2- tanto ou mais assustador do que o ponto anterior é ver que, para quase todos aqueles menos de 50% que têm uma paixão, esta é social. Implica convívio, necessariamente. Não, não estou a dizer que haja algum problema em conviver, e em gostar disso. Mas , para mim, um grande problema quando a ideia de uma pessoa ter um hobby ou paixão a sós (sei lá, uma mini-oficina na garagem… jardinagem… poesia… escrita… tocar um instrumento… jogar xadrez…) é algo completamente impensável. Faz, até, de quem a tem, “um tipo esquisito”.

E é isso que observo.

6 Comentários a “Hobbies e paixões”

  1. Um hobby é algo tão pessoal que eu só o consigo imaginar como uma actividade q faço sozinha. Faço-o pq me apetece, pq gosto, pq é divertido, pq sim.

    Curiosamente não observo o mm q tu; ou sou uma pessoa menos observadora ou encontro-me rodeada por pessoas mt diferentes das q te rodeiam. Os meus amigos têm hobbies e gostos mt variados e tb mt pessoais: um pinta, outro adora jogos de consola e puzzles e bonsais; outra adora desporto e faz ponto cruz, outra faz brincos e anéis – isto só para dar alguns exemplos.

  2. Elektra diz:

    Bem… por definição hobbie, ou em Português: Passatempo (em inglês: hobby), é uma actividade de entretenimento livre que indivíduos desenvolvem sozinhos ou colectivamente. Um passatempo pode manifestar-se de várias formas: desde uma actividade prática (culinária, desporto, modelagem, pintura) até pura e simples actividades intelectuais (escrever, ler, filosofar, inventar países).

    Considerando a definição acima, retirada da wikipedia, não se pode decerto afirmar que um hobbie seja uma actividade que necessariamente se desenvolve sozinho…

    Que a maior parte das pessoa não tem hobbies é um facto, até porque o “mal do século” é as pessoas andarem sempre numa correria desenfreada e queixarem-se constantemente da falta de tempo… e sim, a maior parte das que os têm são hobbies colectivos, e sazonais (veja-se o caso da corrida aos ginásios em pré-verão), na minha opinião pq hoje em dia a maior parte das pessoas evita o auto-conhecimento, a busca individual de si mesmo… a integração em grupo e aceitação pelo grupo assumiu uma relevância desmesurada e a maior parte das pessoas não consegue estar sozinha… só essa busca lhe permitiria desenvolver um hobbie individual…

  3. Elektra, tens razão, não necessariamente, mas tratando-se de algo tão pessoal (só o pode mesmo ser porque parte do gosto de cada um) é compreensível que a maioria dos hobbies sejam actividades desenvolvidas individualmente. Pessoalmente quase todos os que tenho o são: ler, escrever, pintar, fazer colagens, desenhar, bloggar – apenas o desporto faço colectivamente, mas no meu caso nem se trata de um hobby mas sim de uma necessidade pelo o meu bem-estar físico.

  4. Cinclaw diz:

    Bem, hobby, hobby não tenho nada:
    – Tenho uma bicicleta no quarto que vê a rua mais raramente que uma máquina de lavar roupa (que, convenhamos, não sai muitas vezes);
    – A PlayStation2 e o PC não são tanto um hobby (nem uma paixão, embora isso seja, para mim, algo que, ao nível sentimental, está ao nível do “zeal” [AKA o combustível que permite que o motor funcione vigorosamentew]), como um hábito. Há sempre aquela coisa de “querer derrotar mais um ou dois no Budokai, ou matar mais uns monstros no WoW, mas não é algo que me impulsione os pés no caminho para o IST;
    – Como saio à noite mais raramente que a dita máquina de lavar, não me vou pronunciar sobre isso 😛

    Para acabar, fico-me por dizer que já perdi há 1 ou 2 anos a “thirst for knowledge”, portanto também não é por aí. 😛

  5. Elektra diz:

    “apenas o desporto faço colectivamente, mas no meu caso nem se trata de um hobby mas sim de uma necessidade pelo o meu bem-estar físico.”

    Oh moça… mas existem desportos individuais e que satisfazem essa necessidade, e fazer desporto por “necessidade”… argh! Já agora por curiosidade: os desportos organizam-se em: Desportos Individuais, Colectivos, de Oposição, Evasão e Combate. Pronto, admito que sou *um pouco* viciada em desporto 🙂

    Qt a ti Cinclaw, coitadinha da bicicleta…! A minha vê a rua muitas vezes e ora aí está um desporto individual que faz muito bem à saúde, desde que não esteja a chover torrencialmente e não se caia da bicicleta abaixo 😛

  6. LOL

    Mas neste caso mt específico a escolha do desporto recaíu sobre um feito colectivamente. Q existem desportos colectivos e individuais já eu tinha percebido há alguns anos 😉 E individuais tb já os fiz. A questão é q para mim nenhuma prática desportiva é um hobby, mas isso é para mim em especial, atenção.