20060313

Mais um título brilhante. 🙂

Finalmente, já estou a ultrapassar a dependência do café – já não me dói a cabeça. Very nice. 🙂

Acabei o Metroid Fusion. Finalmente! Foi um fim heróico – depois de ter pedido ajuda aos meus irmãos para cuidar de um dos botões – estava-me a faltar a concentração necessária para fazer tudo aquilo ao mesmo tempo – acabei por o conseguir, sozinho. Nem foi assim tão difícil, afinal – eu é que estava a fazer a coisa da forma errada.

Vou agora passar para o Metroid: Zero Mission, e continuar o Advance Wars e o Fire Emblem (este último está lindo). Depois… vou acabar o resto dos jogos que tenho. Ando a comprar mais do que jogo, o que não é bom – é altura de parar um bocado, e jogar o que já tenho. A mesma coisa em relação a livros.

Vi dois filmes no fim de semana: o “Pink Floyd – The Wall” e o “Land of the Dead“. Adorei os dois, se bem que, obviamente, por razões diferentes. O primeiro, nem sei como é que conseguiram fazer aquilo sem o censurarem – é muito perturbante, sobretudo conhecendo já o álbum e as letras das músicas. Além de que tem certas imagens que são mesmo… bem, não vou spoilar a coisa. O filme é como um videoclip do álbum inteiro, no fundo – não é um filme “normal”. Para quem goste da música, e não seja impressionável, recomendo.

O “Land of the Dead”, versão Director’s Cut, do grande George A. Romero… brilhante. Um bocado mais comercial do que os outros 3, mas ainda é claramente *dele*, os efeitos são óptimos, tem alguns actores conhecidos, e é óptimo voltar a ver zombies “clássicos” – não correm, não falam, e não comem só os cérebros. E continua bem o plot do “Day of the Dead”… e mais não digo sobre isso. 🙂 Não é um filme de terror – é, tal como os outros filmes do Romero, uma crítica social… com zombies. Acho que todos os filmes deviam ter zombies! 🙂 Comédias com zombies, romances com zombies, guerra com zombies, acção com zombies, terror com zombies (!), drama com zombies, ficção científica com zombies, filmes históricos com zombies…

O almoço de sábado correu bem, se bem que as iscas não foram tão boas como habitualmente. Na próxima terei de em empenhar mais na coisa – acho que tenho de ser mesmo eu a virá-las, e os temperos foram deficientes. Estavam boas, mas não estavam óptimas – e eu consigo fazer iscas “óptimas”. Hmm, iscas.. já estou a ficar com fome. 🙂

Os comentários estão fechados