Algumas frases que eu detesto (parte 1)

  • “O teu problema é pensares demais nas coisas.” Não. O “problema” é pensares, ponto… num mundo em que o “normal”, feito por quase toda a gente, é não pensar absolutamente nada, e viver num estado de permanente apatia, em que não se sente nada de mau… ou de bom. Viver implica pensar, e pensar implica sentir. Mas as pessoas são tão cobardes que o normal hoje em dia é não pensar, não sentir, e não viver.
  • “As pessoas hoje em dia são muito individualistas.” Quem diz isto está a precisar que lhe batam na cabeça com um dicionário – de preferência grande, pesado e com uma capa bem dura. Porque só demonstra que não sabe o que quer dizer “individualista”, já que, se soubesse, não veria isso como um defeito (uma pista: a humanidade não é suposto viver como uma colónia de formigas), e, mais importante, nunca diria que hoje as pessoas, em geral, o são. Olhando à volta, vejo muito pouco individualismo… o que vejo, e muito, é estupidez, mesquinhice, e pequenez. O individualismo é heróico, não é medíocre… olha à tua volta, e diz-me qual destas qualidades (heroísmo ou mediocridade) vês mais.
  • “Os <inserir grupo musical>? Ah, só gosto da <inserir música>.”. Só? A sério? Conheces todas as outras? Conheces alguma outra? Ah, nunca as ouviste, não é? Então não digas mais disparates.
  • “Eu quero lá saber!” Ainda bem que não somos todos como quem diz isto, ou ainda viveríamos em cavernas. São a razão, a curiosidade, e a vontade de aprender que nos tornam humanos – negá-las é tão estúpido e auto-destrutivo como um pássaro recusar-se a usar as suas asas.

2 Comentários a “Algumas frases que eu detesto (parte 1)”

  1. E para quando: “Algumas frases que eu adoro?” 😉

    😀

  2. Ouço poucas frases que adoro, enquanto as 4 acima parecem ser omnipresentes da minha vida. 🙁

    Mas talvez o faça, DEPOIS da 2ª parte das frases que detesto. 🙂