Mais aborto… agora, outras opiniões

Do meu lado, acho que não vou acrescentar muito mais à questão. Já fui insultado por ter a minha opinião, por ter pensado nela, e por estar certo da mesma, quando hoje em dia é considerado “arrogante” ter uma opinão forte baseada no pensamento; só se aceita uma opinião forte baseada em emoções. Ou em autoridade, ou em religião, ou… Bah.

De qualquer forma, se alguém quiser comentar os meus posts anteriores, e, para variar, quiser responder ao que eu escrevi (em vez de se limitar a dizer que “sou muito agressivo”), tal será apreciado.

Neste post, vou apenas mencionar o que outros disseram (fora deste blog) sobre esta questão.

Primeiro, um post da namorada, chamado A Interrupção Voluntária da Gravidez…. É um bocado mais detalhado do que os meus, e acho que mostra bem os dois lados da questão. Vá, leiam e comentem. 🙂 Inclui argumentos como este:

Para quem não sabe, até às 10 semanas há muitas mulheres que nem têm uma gravidez confirmada e que têm aborto espontâneo sem que soubessem que estavam grávidas. O próprio corpo se encarrega de “expulsar” fetos com problemas graves, é parte da “selecção natural” de Darwin, a não-sobrevivência dos fracos, dos inviáveis.

Logo, segundo a moralidade dos “nãos” (que confundem um ser humano com um aglomerado de células que é um potencial ser humano), quase todas as mulheres com vida sexual são “mass murderers” e nem o sabem…

Depois, quero mostrar um post que considero ser totalmente ridículo. Vem de um partido americano, “America First Party”, que é basicamente mais republicano do que os Republicanos. O post chama-se… wait for it… Abortion Leads to Nuclear War. Sim, parece que a Madre Teresa (que pode ter sido muitas coisas, mas não era, de certeza, uma pessoa inteligente ou culta – ou então era muito mentirosa, porque sem dúvida dizia grandes disparates) disse algo desse género, e os fanáticos de todo o mundo pegam nisso. Portanto, já sabem – não querem ver cogumelos enormes no horizonte, não abortem. Ah, e…

It is abhorrent that abortion supporters choose to hide behind the term ‘choice’ to mask their goal of destroying unborn children and promoting immoral behavior without responsibility

Destruir crianças! Que horror! Que tipo de monstro desumano e cruel quereria alguma vez fazer tal acto hediondo? 😯

É claro que as coisas não são bem assim. Sugiro-vos esta alternativa… deixem se ser um aglomerado irracional e disforme de emoções, e sejam humanos: pensem um pouco. Como este post, em resposta ao comunicado anterior, diz,

nuclear bombs have been used once in war, and I seriously doubt the bombing of Hiroshima and Nagasaki had anything to do with abortion, considering it wasn’t legal in the US in 1945.

E, em resposta à idiotice de “destruir crianças” citada anteriormente,

Let me tell you right now, no one wants to destroy children. It’s just that sometimes an abortion is the only option a mother may have to keep from ruining her life or the lives of her future children. Life is not always fair or simple. That’s the way it is. I wish we could all live in a dream world of magic, but we don’t, and trying to legislate it into reality won’t make it so.

Não teria dito melhor.

Etiquetas: , , , ,

3 Comentários a “Mais aborto… agora, outras opiniões”

  1. Samuel diz:

    Pedro: continuo à espera das tuas respostas (as minhas questões não eram retóricas).
    Decidi escrever no blog já que achei interessante discutir o tema com um apoiante do aborto tão convicto e que faz questão de utilizar argumentos racionais. Percebi contudo que preferes responder apenas a quem reage ‘violentamente’ contra as tuas também ‘violentas’ opiniões. É pena não teres intensão de continuar a abordar o assunto, mas talvez eu possa trazer questões novas à discussão…

  2. OK, eu respondo-te mais tarde, na outra thread. Desculpa não o ter feito já. Agora estou aqui a meio de outra coisa, mas espero fazê-lo ainda hoje.

  3. A quem acabou tentou há pouco deixar aqui um (longo) comentário: os comentários é suposto responderem ao post. Aquele comentário é um texto previamente escrito, que, apesar de estar relacionado com o aborto, não tem nada a ver com este post, e ainda por cima dá os mesmos argumentos repetidos de sempre, que já refutei noutros posts (nem foi neste!).

    Sorry, mas fazer copy & paste de textos aproxima-se da publicidade. E isso aqui não.

    P.S. – se fosse equivalente, mas pró-sim, também não passava. Mais uma vez: a ideia é responder aos posts, não é usar um blog alheio para fazer campanhas.