Kai

É difícil para mim escrever isto, e por isso não será um grande post… nem em quantidade, nem em qualidade. Mas ambas, nesta situação, são irrelevantes. Por um lado isto custa… mas por outro lado, não podia deixar isto passar.

Hoje perdi… é difícil de definir. Um amigo? Um companheiro? Um membro da família, nos últimos 9 anos? Sem dúvida, tudo isso.

A coisa ainda não “penetrou”. Ainda o espero ver, ainda o espero ouvir miar. Em poucas horas, mais que uma vez pensei que era ele a aproximar-se de mim, até me lembrar de que o Link está enorme, e que o Kai já cá não anda.

Tive este gato aproximadamente um mês depois de vir viver para aqui, em 1998, pelo que ainda é estranho para mim viver numa casa em que ele não vive. Como disse, ainda o espero, inconscientemente, ver a qualquer momento. Ele era parte da casa, parte do meu tempo aqui, parte da minha vida. Foi o meu primeiro gato, e espero nunca me esquecer dele, nunca me esquecer de como ele ronronava, como ele brincava, como ele era carinhoso, como ele alegrava a minha vida, sobretudo antes de adoecer… mas não só.

Sinto-me sozinho, e sinto a minha casa vazia, apesar de ainda ter 3 gatos e um periquito. Eu sei que isto eventualmente passará… mas, hoje, tudo isto à minha volta parece vazio.

E talvez seja egoísta da minha parte, mas o que mais gostava neste momento era poder voltar atrás no tempo, nem que fosse só um dia… para lhe fazer mais uma festa. Ele já estava surdo, já não ouviria o que eu dissesse… mas só gostava de o ter aqui, mesmo que só por uns minutos. Mas foi-se, e para sempre.

Kai

Etiquetas:

5 Comentários a “Kai”

  1. Fabio diz:

    Sinto muito. De verdade. De coração.
    Sei o que é perder um bichinho que a gente viu crescer, que passou longos anos fazendo parte da nossa vida.
    Dói. Mas a vida é assim.
    Força!

  2. Carla diz:

    Eu sei que não ajuda muito/nada… mas também era o meu gato preferido, dos teus, claro 🙂 Mas pensa, no fundo, ele proporcionou o lugar ao Link, que é uma fofura 🙂 atrevidote, mas é uma “gracinha” 😉

  3. Obrigado a ambos… isto custa, mas com o tempo vai doendo menos… se bem que ainda é muito recente.

  4. Dora diz:

    Sinto muito pelo seu gato. Espero que você melhore e volte a escrever. Abraços afetuosos.

  5. Cris diz:

    Hoje sinto-me só..
    Apesar de ter acordado com a voz de alguem especial que me foi arrancar ao mundo dos sonhos para me trazer até si e me ter recebido com um beijo e um sorriso, sinto-me só…
    É estúpido porque no fundo e devo confessar sou feliz… Mas é estranho não estou habituada a ter tanto… No meio disto e porque sinto que devo ser consiza naveguei e explorei e xeguei até aqui… Kai… uma presença, uma experiência, um amigo… Provavelmente nunca saberei o quão importante foi a presença, ou o quão forte foi a experiencia, mas quanto a amizade posso e consigo perceber-te… Aquela k nunca cobrou nada, nunca desejou nada, e deu tudo…
    è difícil perder, magoa deixar partir, dá nauseas ao tentar esquecer, mas nada importa, a questão é que vale pelo que existiu…
    Não esquecerás, mas se por uma unica possibilidade houvesse sequer a hipotese de um dia poder vir a acontecer eu relembrar-te-ia…