Coisas que me irritam, parte 6

Bonés de pala.

A sério, eu posso dar um leve desconto se o uso deles for “vou para um sítio onde há imenso sol, que me perturba a visão”. Para quando os óculos escuros não chegam.

Mas usá-los por razões estéticas? Porque acham que dá estilo? (assumindo que, por “estilo”, não querem dizer “parecer um teenager chunga entre os chungas”…) Yuck. 😕

Ah, e na estrada afasto-me dos carros conduzidos por quem usa tal indumentária. Em geral, quando de seguida observo a condução deles, não me arrependo de o ter feito. Deve haver uma relação. 🙂

P.S.: gorros – usados por qualquer razão que não seja “tenho frio na cabeça”, que de qualquer forma não considero possível no centro de Portugal, but let’s be nice – são quase tão maus. 😈

6 Comentários a “Coisas que me irritam, parte 6”

  1. Sarita diz:

    Oh sr. Timóteo, mas este blog chama-se “Coisas que me irritam”? É que parece que o menino está sempre a resmungar, irra. Mas anda irritado com a vida e descarrega naqueles que nao gosta?

    Deixe-se disso e ponha um sorriso nessa cara 🙂

    • Sra. Sara, tenho o prazer de a informar que dos 367 posts, actualmente só 6 são sobre coisas que me irritam, o que dá aproximadamente 1,6%. A sra. não me pode acusar de isso ser o tema dominante do blog. 🙂

      E é um desabafo que me faz bem. Mas não me ofendo (muito) se saltares esses posts no futuro. 🙂

      • Sarita diz:

        Eu vou tentar, mas andar irritado é um estado de alma e eu preferia que ninguém assim andasse. E se o menino anda, pois nós que lemos também ficamos, isto pega-se, nem que fosse só 1 postzinho no meio de 367 :p Para gente irritada, vamos aos comentários do Público.

        Vá lá sr. Timóteo, deixe-se disso, o menino é tao eloquente e extremamente inteligente, fale-nos de coisas que nos fascinam, ande 🙂

        • Há uma diferença entre “isto irrita-me” e “andar irritado”. A segunda é realmente um estado de espírito; a primeira é o nosso sentido de justiça e empatia (em casos sérios, como a entrada anterior desta série) a funcionar, ou, no caso deste post, é o nosso bom gosto a revoltar-se. 🙂

          Além de que é impossível agradar a todos. De certeza que não te fascinou o meu post sobre os jogos da minha vida, por exemplo. 🙂

          E quando é que a menina começa um blog? 😉

          • Sarita diz:

            Hmmmm… Tem toda a razao, concedo-lhe isso, estar irritado e andar irritado nao sao a mesma coisa. No entanto, dispender tanta energia e espaco de antena a resmungar por nada nao me parece necessário – q’isto a senhora gaja é demasiado prática.

            O problema maior que posts destes podem denotar, é que coisas tao pouco importantes podem ter tanto espaco nos nossos pensamentos do dia-a-dia ao invés de pensamentos libertadores, abertos e inspiradores.

            Posso nao ter entendido o post sobre jogos, mas pelo menos vi nele uma faceta do Pedro que eu conheco, ie. é um post apaixonado.

            Li uma vez uma afirmacao do Saramago que dizia algo do género que nao deveríamos de escrever sobre coisas mundanas. Na altura nao entendi muito bem e até achei o comentário pedante, mas ultimamente comeco-me a questionar se o que ele quereria dizer seria para pensarmos mais além. Nao sei, sao questoes pertinentes e de certeza que o senhori Saramago nao faz dele as minhas palavras 😀

            A menina tem um blog sim, no Multiply, onde tentava ter posts positivos, se bem que nao tenha escrito nada ultimamente (and by the way, espero nao ser uma achega: entao vá lá escrever no seu em vez de vir chagar para aqui 🙂 ), mas neste momento anda a ver se escreve o conteúdo de um site em fase de construcao para jovens profissionais que se queiram mudar para Londres. Quando estiver terminado eu dou-lho para ler, pode ser que o inspire a vir para terras de sua majestade.

            Beijocas boas e pensamentos irritantemente positivos 😉 ,
            Sarita Maria

  2. Eu costumo ver pessoas andar de gorro no Verão, com temperaturas a mais de 30 graus. Deve ser para o “style”.