Como matar um zombie à porta de casa

Naquele que vai provavelmente ganhar o prémio de “post mais estranho do blog” (est. 2004), para não dizer “post que fará muita gente passar a ter medo de mim e nunca mais me convidar para nada”, eis o resultado de algum tempo (desde que li o Zombie Survival Guide pela primeira vez) de reflexão sobre como lidaria com o problema de haver um zombie do lado de fora da porta da minha casa.

Dados: refiro-me à porta do apartamento, não a da rua. Moro num 3º andar, num prédio com 4 andares (não há R/C), com esquerdo e direito em cada um. Tenho um descampado do outro lado da rua, e um ainda maior mais à distância. E refiro-me a zombies tipo Max Brooks: lentos, estúpidos, querem comer humanos, não têm memórias ou empatia das vidas anteriores, morrem com a destruição do cérebro, e infectam com uma dentada ou contacto sanguíneo.

Bom, imaginemos, então, que estou em casa, e há um zombie do outro lado da minha porta, que já me ouviu e está a bater na porta (tentando entrar), a gemer (uuurhn), e essas coisas. Como é que eu me livraria dele?

Isto é uma questão mais complexa do que parece. Porque matar o zombie é só o início. É também importante 1) impedir que ele infecte seja quem for, e 2) não ser, eu próprio, preso.

Primeiro, é importante ter em atenção de que ninguém acreditaria que aquilo é, efectivamente, um morto-vivo que quer comer humanos e cuja dentada provocará inevitavelmente a morte e reanimação da sua vítima. Logo, não só pedir ajuda aos vizinhos está completamente fora de questão (isso iria apenas criar mais zombies no meu prédio), como, mesmo sem o fazer, teria de ter cuidado para resolver a situação muito depressa, para evitar que alguém abra a porta do seu apartamento para perguntar o que é que está a fazer aquele barulho todo, se eu acho que são horas, e afins.

Da mesma forma, chamar a polícia (mesmo que ela chegasse antes de algum vizinho abrir a porta) teria o mesmo problema: inevitáveis infecções de agentes que não acreditariam que aquilo é um cadáver reanimado, em vez de alguém sob efeito de drogas, ou afins.

Aceitando então que isto é algo com que tenho de lidar depressa, para evitar intervenções externas, a primeira hipótese que se põe é abrir a porta, deixar o zombie entrar, e matá-lo com algum objecto (ex. um martelo ou outra coisa dura para destruir o cérebro, ou uma faca num olho, ou… bem, em casa não tenho muito mais; de qualquer forma, um tiro não silenciado implicaria polícia na mesma, e aí seria suspeito de assassínio). O problema aí é que eu não sou exactamente um mafioso com experiência em livrar-se de cadáveres sem levantar suspeitas, pelo que teria de, com cuidado para não ser infectado (o vírus continua activo durante mais tempo), me livrar completamente de um cadáver putrefacto na minha casa, de limpar tudo o que se tivesse sujado, de cortar o corpo e levá-lo para fora de casa em sacos… tudo isso sem levantar suspeitas dos vizinhos. E provavelmente não teria tanto jeito para isto, se bem que ainda há quem me diga que isto seria a melhor solução.

Resta a opção que ainda acho ser a melhor (se bem que não é, de forma alguma, perfeita): abrir a porta, “fintar” o zombie (não é difícil; é como lidar com alguém completamente alcoolizado, ao ponto de cambalear e não ter qualquer coordenação), deixar que ele me siga pelas escadas abaixo (eles são relativamente lentos), sair pela porta da rua, e ir até ao descampado à distância. E matá-lo aí, deixando o corpo nesse sítio. Com sorte não há testemunhas (aquilo é longe de qualquer prédio, seriam precisos uns binóculos bem potentes para ver alguma coisa), não há outras infecções (sobretudo se for a uma hora em que não haja gente na rua), não há polícia a suspeitar de mim, e, importantíssimo, não sujo a casa com pedaços de zombie. 🙂

Vá, digam lá “you’re sick”. Ou perguntem-me o inevitável. 🙂

Etiquetas: , ,

14 Comentários a “Como matar um zombie à porta de casa”

  1. Banzai diz:

    Eu gostei imenso, vou seguir as tuas instrucoes a risca. Mas nao tenho descampado, vou ter que pensar em alternativas. Sim, porque isto nunca se sabe quando acontece…

  2. Ka diz:

    Ahahaha, fantástico!
    Mas o tempo que demorarias à espera que o zombie te seguisse…que seca! Dava para cortares as unhas e jogares sudoku! E terias de esperar que ele não fosse atropelado.
    E que arma usarias tu para o matar?

    • Mas teria de ser; se alguém me visse ou ouvisse a fazer algo suspeito, para toda a gente eu teria morto alguém; quem é que ia acreditar no “mas é um zombie! a sério!”? 🙂

      Quanto a armas, do que tenho em casa e que estou a imaginar agora, provavelmente o melhor era um martelo. Não tenho, nem sei usar, armas exóticas como uma katana (com a qual teria de o decapitar, o que não é assim tão fácil). Uma alternativa mais perigosa seria espetar-lhe alguma coisa num olho (chegando também ao cérebro), como uma faca ou uma chave de fendas, mas isso já implicaria habilidade e sorte, além de aumentar o risco. Isto não é fácil… Não somos americanos, com as casas cheias de armas de fogo. 🙂

      • Sarita diz:

        Nao te ocorreu jogar-lhe liquido inflamável para cima e queimá-lo? Nao estou a ver como se poderia matar um zombie com uma catana ou uma faca… 😕

        • Wrong zombies. 🙂 Vê aqui (site meu, já agora); são os da 5ª linha.

          • Sarita diz:

            Mas com fogo destruías-lhes o cérebro, nao? 😉

            • Fogo é uma péssima arma contra zombies, a não ser que tenhas muitos presos num sítio fechado, (ex. um fosso). Afinal, eles não sentem dor, e um corpo não arde completamente de um momento para o outro, pelo que durante 5 minutos ou mais tens um zombie em chamas a avançar contra ti, ignorando completamente o facto de estar a arder.

              Da mesma forma, granadas, minas e outros explosivos são de evitar, já que eles matam por choque ou estilhaços, e ambos são inúteis contra zombies (excepto se o estilhaço penetrar no crânio).

        • cesar filho diz:

          Boa ideia,mas vai ter que ser esperto para usar os instrumentos

  3. Hmmm… “Matar” o zombie com esse tipo de objectos de ter em casa é bastante arriscado. Para começar, implica estar a uma distância mínima… e aí há o risco de ser agarrado, porque os zombies não tentam só morder, agarram muito… O Max Brooks dizia que a melhor protecção era cabelo curto e roupa justa precisamente por isso.
    Por outro lado, com uma faca (mesmo que seja grande), muito provavelmente salpicavas-te com o sangue, e isso não era bom…
    Talvez uma faca atada a um pau de vassoura. No livro dizia que das melhores armas eram aquelas chinesas que não sei como se chamam, mas que são uma haste com uma lâmina forte na ponta… como a arma da Seong-Mina no Soul Calibur III
    (Xii… tanta geekice que para aqui vai)

    De resto, concordo com a estratégia de levá-lo para fora de casa e matá-lo no descampado. Mas fintá-lo em casa não é tão fácil quanto isso…

    O que eu faria (vou escrevendo à medida que vou pensando)… Estando sozinho em casa…
    O meu quarto é no sótão. Imaginemos que há um zombie a subir as escadas que dão para lá…
    Trancava a porta, abria a janela do tecto (daquelas tipo-sótão), ia pelo telhado até à casa do vizinho, que é geminada (fechava a janela, entretanto). Podia descer pela árvore que lá há, mas não era assim tão fácil… mas sempre há as janelas do sótão dos vizinhos…
    Só que assim não o matava, simplesmente conseguiria fugir em segurança…
    Acho que a polícia me daria ouvidos se dissesse que tinha um assaltante preso em casa, vivo ou morto-vivo…

    Imaginando que estou no R/C, e há um zombie à porta de casa…
    Não era muito complicado… a sala tem uma janela que dá para o exterior (como a maioria das janelas), mas que é alta, 2 metros e tal…
    Atraía o zombie para debaixo dessa janela, com barulho, ou comida (suponho que gostassem de comida). E assumindo que era desses zombies que descreveste, ele ficava debaixo da janela a tentar apanhar-me, sem sucesso…
    Aí, era esfaqueá-lo à distância…
    Para o matar, acho que só tinha mesmo material de cozinha… na ponta de uma vassoura, tá visto… Só precisava do tempo suficiente para preparar isso…
    E enterrava-o no jardim…

    Vá, mais gente a debitar estratégias, para não ser só comentar nas dos outros!

    • Estou a ver que contribuí para a discussão em praça pública de um assunto importantíssimo dos dias de hoje, e no entanto insanamente ignorado. É como tudo: pensam que só acontece aos outros.

      O problema de envolveres polícia é que ninguém da mesma acreditará no que tem ali. Se o zombie estiver morto, vais “dentro” por assassínio; se ainda estiver “vivo”, alguma coisa vai correr mal (mandam-no parar, ele não pára, dão-lhe um tiro na perna, ele continua a andar, e eles estão tão assombrados que são mordidos… tentam agarrá-lo e são mordidos… pensam que está drogado e levam-no para um hospital, onde ele morde alguém…). Afinal, como o Brooks também menciona, o maior aliado deles é a ignorância; quem não sabe que zombies existem, por muito putrefacto que ele esteja, pensará sempre que se trata de uma pessoa, e se o tentarmos convencer do contrário, pareceremos completamente malucos.

  4. nemias diz:

    mas zombie é muito facil de matar com apenas um tiro de brokeen buterfly

  5. cesar filho diz:

    vamos ao ponto mais simples,não vou dizer que eles so morrem com balas na cabeça
    mas e bom saber que a cabeça e leve e pancadas na cabeça mataria bem mas rapido do que atirar no corpo,mas depende deles pois quando eles atacam uma faca afiada no olho
    daria bem.
    Como sabemos que eles são zumbis?
    se são mortos?
    ou mortos-vivos?
    qual é a diferença entre zumbis,mortos,mortos-vivos?
    e bem interessante né!
    vamos voltar a cena do crime
    a casa dos mortos
    valeu

  6. cesar filho diz:

    como vamos detalhar o fim do mundo?
    com os mortos?
    com os demonios?
    com os vampiros?
    com a escuridão?
    ou outra coisa?
    os mortos-vivos existem!
    e satana esta mandando ele
    e por que?
    a sexo fora do casamento
    casamento entre o mesmo sexo
    crianças na prostituição
    e por isso que eles estão vindo
    quando não ouver mais espaço no inferno
    os mortos tomarão a terra
    e por isso que devemos ser mais espertos
    para sobreviver.
    valeu