Sim, ainda estou vivo :)

Não tenho escrito aqui por várias razões. Primeiro, ando mais concentrado no Winterdrake, como já tinha dito que ia fazer no post anterior. Segundo, têm havido várias mudanças na minha vida, que, sendo este um blog pessoal, fazem sentido mencionar aqui.

Não falei disso aqui, mas, depois de quase 3 anos na mesma empresa (que não vou mencionar, mas ficava na Buraca), sem ter praticamente nada para fazer, e sendo completamente subaproveitado (o meu chefe, por alguma razão, sempre me viu como “gajo de ir carregar em botões”, sendo eu um dos sysadmins Linux com mais experiência no país), eles começaram a atrasar-se cada vez mais com os pagamentos (já que a empresa em questão fazia aquela “trafulhice”, infelizmente comum, de declarar só parte do ordenado, e pagar o resto como “despesas”, mas o problema é que essas não estão especificadas no contrato), até que a situação se tornou insustentável, e tive de sair, no fim de Janeiro — para quê ficar lá e não me pagarem? E, portanto, fiquei uns 2 meses em casa, a constatar que aparentemente é impossível hoje em dia, sem ter grandes “cunhas”, arranjar emprego nesta área sem ser por outsourcing. Sem querer deitar abaixo empresas de outsourcing que até são competentes e tratam “bem” os seus empregados, continuo a achar que esta situação é absolutamente nojenta, e empresas que se recusem a contratar informáticos directamente (o que, pelos vistos, são todas elas, em Portugal) estão a demonstrar uma total cobardia e falta de visão. But I digress…

Anyway, desde 8 dias atrás, estou a trabalhar outra vez, e até estou a gostar bastante. 🙂 Mais uma vez, não vou especificar onde estou, mas posso dizer que fica ao pé da Estefânia, em Lisboa. Como só um doido varrido levaria carro para o centro de Lisboa (trânsito infernal, só malucos na estrada, parquímetros em todo o lado, e apesar destes é quase impossível estacionar, mesmo pagando? No, thanks), estou a redescobrir os transportes públicos, depois de os ter abandonado nos últimos 10 anos. De certa forma, estou positivamente impressionado: nos dias em que não há greve, tanto os comboios da linha de Sintra como do Metro de Lisboa passam a uma frequência muito mais aceitável do que nos anos 90, já não andam tipo “latas de sardinha”, e em geral são confortáveis. E, depois do meu intervalo de 10 anos, é divertido ver como os telemóveis alteraram completamente a forma como as pessoas andam nos transportes: em vez de andarem carrancudas ou com ar de aborrecimento, mais de metade das pessoas passa as viagens a usar o telemóvel — a maioria (sobretudo adolescentes) a trocar SMSs, mas também se vê pessoas a usar smartphones para browsar na net, usar o Facebook, ou ler ebooks. Nada disto se via lá para 2000, obviamente; aliás, nessa altura os telemóveis ainda eram suficientemente raros — e caros — para que quem tirasse um do bolso desse nas vistas…

Anyway, quanto ao trabalho novo, estou a gostar. O pessoal é simpático, e há um ou dois “geeks” — algo que já não tinha como colegas desde 2003 ou coisa parecida. Seria de esperar que a maior parte dos informáticos o fosse, mas na verdade não é o caso, na minha experiência; é comum ver informáticos que não têm qualquer curiosidade em aprender nada que não seja directamente útil para o seu trabalho, e até já tive colegas que se gabavam de nunca ligar o computador em casa… ou até de não ter um!

O trabalho também é interessante, e é da minha área. Já tinha saudades. 🙂 Dará também para aprender algumas coisas (o que é sempre bom), já que vou ter de trabalhar com algumas tecnologias / serviços nas quais tenho pouca ou nenhuma experiência (mas posso usar a que tenho, para muito mais). E sabe bem acordar num dia de trabalho e não pensar que lá vem mais um dia de “seca”.

Por último, estou a andar bastante, o que é bom, já que eu tenho tendência para ser bastante sedentário, e nos últimos empregos que tive dava para estacionar à porta. Agora, por outro lado, estou a andar pelo menos uns 3,5 km por dia (o GPS no telemóvel permite medir estas coisas, e até dá estatísticas de calorias queimadas), o que me faz suar um bocado, e nos primeiros dias me deixou “todo partido”, mas já me estou a habituar, e sinto mesmo que me está a fazer bem. Portanto, neste momento a minha vida está bem melhor. Espero que continue a melhorar. 🙂

Um Comentário a “Sim, ainda estou vivo :)”

  1. velvetsatine diz:

    Acredita, é sempre a melhorar. 🙂