Arquivo da Categoria ‘Cristianismo’

“Everything is proceeding as I have foreseen…”

Quinta-feira, 10 de Dezembro, 2009
Pope Palpatine's evil plan

Irlanda, Igreja Católica… “ah, pois, mas o ateísmo é que é o verdadeiro problema”

Segunda-feira, 25 de Maio, 2009

Acho que aqui não há muito a acrescentar a este post do Daylight Atheism, Catholicism’s Hollow Claims of Moral Authority.

O início do post:

The outgoing Archbishop of Westminster, Cormac Murphy-O’Connor, had some choice words for atheists at the ceremony this week to install his successor:

“What is most crucial is the prayer that we express every day in the Our Father, when we say ‘deliver us from evil’. The evil we ask to be delivered from is not essentially the evil of sin, though that is clear, but in the mind of Jesus it is more importantly a loss of faith. For Jesus, the inability to believe in God and to live by faith is the greatest of evils.

…You see the things that result from this are an affront to human dignity, destruction of trust between peoples, the rule of egoism and the loss of peace. One can never have true justice, true peace, if God becomes meaningless to people.”

Like others who came before him, this cardinal views atheism as “the greatest of evils”, literally the worst act a human being can possibly commit. Too bad for the cardinal that, at the time he gave this speech, an enormous counterexample was staring him in the face:

Tens of thousands of Irish children were sexually, physically and emotionally abused by nuns, priests and others over 60 years in a network of church-run residential schools meant to care for the poor, the vulnerable and the unwanted, according to a report released in Dublin on Wednesday.

Tens of thousands of children, suffering horrific abuse, degradation, and brutal assault both physical and sexual, over a period of decades. The sheer scope of the problem makes it impossible to explain away as the result of a few bad apples; cruelty this widespread and this institutionalized could only come about as the result of evil and corruption deeply entrenched in the hierarchy of church power.

Não acho que dê para acrescentar muito mais a isso.

E antes que me digam que isto não é representativo da Igreja Católica, eu lembro-vos do que a mesma fez enquanto tinha poder para tal: inquisição, tortura de “hereges”, queima de “bruxas”, censura de todos os livros por default (isto é, havia uma lista de livros permitidos, e não de livros censurados), cruzadas, e afins. E isso não parou por a Igreja ter pensado “espera aí, isto não está certo, é uma crueldade monstruosa, vamos parar e realmente tentar fazer algum bem ao mundo”. Não, parou quando deixaram de ter poder para isso. E acho que nunca devemos deixar de mencionar esse facto. Tal como os judeus dizem em relação ao Holocausto, “nunca mais.”

Abuso de crianças? “Trivialidades.” Tudo é justificável para um culto de morte que acredita que a vida terrena não tem qualquer importância, e que a única coisa que importa é salvar almas.

O regresso da vingança do Papa parte II

Quarta-feira, 1 de Abril, 2009

Visto num comentário no Pharyngula:

Given the other stuff he believes, his stand on condoms makes perfect sense. They do “make the situation worse,” when you understand that for him a baby dying of AIDS is not as bad as people having sex while paying no price whatsoever.

É o que eu já disse aqui, mas de forma muito mais sucinta e directa. Acho que tenho de ler mais. 🙂

Como violar os 10 Mandamentos

Segunda-feira, 30 de Março, 2009

spacemoosetencommandments

Curiosos sobre o Space Moose? É só ir à Wikipedia. 🙂

P.S. – se conhecerem os 10 mandamentos, o comic acima faz muito mais sentido, já que há um quadradinho para cada. 🙂

Hell’s Most Wanted: quantas vezes vais para o Inferno?

Sábado, 21 de Março, 2009

Se me tenho queixado do Catolicismo recentemente, por causa de certas afirmações papais, por outro lado tenho de me sentir muito feliz por os Católicos estarem em maioria por cá, em vez destes simpáticos, amigáveis e porreiros fundamentalistas Cristãos americanos:

hellsmostwantedMas, ei, não quero que me digam que não consigo brincar com estas coisas. Sendo assim, deixo-vos dois desafios, cuja resposta apreciaria em comentário:

  1. segundo essa lista, eu iria para o Inferno seis vezes. Adivinhem quais são. Pista: “child molesters” e “psychics” não são escolhas correctas. 🙂
  2. e vocês? Quantos? Menos de 6? Mais de 6?

Nota: sem exageros, please. Ter jogado no Totoloto meia dúzia de vezes não faz de ninguém um “gambler”, e assim por diante.

EDIT: passei de 5 a 6. Reparei que “fornicator” quer dizer ter alguém que tem ou teve sexo fora do casamento (e não um obcecado por sexo, tarado sexual, predador sexual, ou outros significados menos simpáticos desse género). E com isto já sabem uma. 🙂

Mais Papa, mais preservativos, e mais comentários

Sexta-feira, 20 de Março, 2009

O leitor CSousa deixou num post anterior meu um link para este post, com a sugestão de eu o ler. E porque não?

Primeiro, o autor do post fala da qualidade de Ratzinger / Bento 16 como teólogo. Já aí estamos perante um problema.

Deixem-me explicar a minha posição com um exemplo. Eu posso ser o maior fã do Homem-Aranha do mundo. Posso ler todas as comics existentes (e são milhares e milhares, desde os anos 60) várias vezes, posso ler dissertações filosóficas sobre o personagem, posso entrevistar o Stan Lee e o Steve Ditko, bem como alguns dos mais recentes argumentistas do personagem. Posso ir a convenções, juntar-me a clubes de fãs, escrever blogs, e passar todo o meu tempo livre a pensar no personagem, de forma a ter novos “insights” sobre ele e o que o faz vibrar. Posso tomar decisões no dia-a-dia pensando “o que é que o Homem-Aranha faria nesta situação?”. Posso, em resumo, conhecer o personagem tão bem ou melhor do que qualquer pessoa no planeta, ser o maior especialista nele ele à face da terra.

Isso faz o personagem existir? De forma alguma. E se eu afirmasse que ele existe, estaria completamente louco, exactamente como alguém que afirmasse isso sem conhecer quase nada dele. O meu conhecimento extremo de um personagem fictício não o torna real.

Teologia é exactamente a mesma coisa. É o estudo de algo fictício, inexistente. É uma não-ciência. O Papa pode ter passado a vida dele a pensar sobre a personalidade e desejos do Deus cristão; pode ter lido e entendido mais textos sobre o assunto do que qualquer outra pessoa. Pode passar anos da sua vida a rezar. Pode dedicar a vida inteira a isso. Mas isso não faz Deus passar a existir, e muito menos faz com que esse personagem fictício dê ao Papa algum conhecimento ou informação que os “mortais comuns” não têm.

Teologia, como alguém disse no passado, é um cego a procurar num quarto escuro um gato preto que não está lá… e “encontrá-lo”.

Depois, vem aquilo que os defensores do Papa têm andado a dizer como desculpa: que ele não disse que o uso do preservativo agrava a epidemia da Sida, mas que é a sua distribuição que o faz. Desculpem lá, mas… estão a tentar usar a Chewbacca defense, ou quê? Essa distinção não faz qualquer diferença neste contexto; a distribuição dos preservativos tem como único objectivo o aumento do seu uso. De certeza que estes não são para fins decorativos…

A citação da “Dra.” é tão moralmente repugnante que dá vontade de nem lhe responder. É mais uma variante do NOMA (non-overlapping magisteria), a ideia de que a ciência e a religião não estão em conflito, porque a primeira se dedica ao “como” e a segunda ao “porquê”, sendo a moralidade o apanágio da segunda. Não vou entrar aqui em explicações detalhadas pelas quais isso é absurdo; digo-vos apenas isto: que autoridade tem a religião, sem qualquer “linha directa” para algum ser superior, e culpada das maiores atrocidades feitas em nome de “Deus”, para falar de moralidade? Nenhuma; e por isso a “moralidade” da mesma resume-se a 1) livros escritos há milhares de anos que aceitam a escravatura e afirmam a inferioridade e necessária submissão da mulher em relação ao homem, e 2) um conservadorismo abjecto e oposição a todo o progresso da sociedade.

Um cristão ou um membro de qualquer outra religião — ou mesmo um líder da mesma religião, como neste caso o Papa — não é um especialista em ética ou moralidade. A sua “moralidade” resume-se a tentar adivinhar os caprichos de um ser em que acredita apesar de não haver quaisquer indícios da sua existência, seja teorizando, seja lendo o que outros crentes nesse ser (não mais iluminados do que ele) escreveram. Querem moralidade, falem com filósofos focados na mesma, ou pensem por vocês próprios; não há nada a tirar da religião nesse aspecto (ou, o pouco que haja, não é nada do outro mundo e não é original deles: se pensam que “faz aos outros o que queres que te façam” teve origem em Jesus Cristo, estão completamente enganados).

Depois, há quem diga (não necessariamente naquele post, mas já vi o argumento por aí) que os preservativos não são 100% eficazes a prevenir a Sida, logo “não são solução” e mais vale estar quieto. Desculpem-me?!? Uma solução que previne 90% das infecções (ou mesmo que fosse 50%, ou até menos) é “o mesmo que nada”? Sabem de quantos milhões de vidas potencialmente salvas se está a falar? De quantas pessoas, mesmo não sendo todas elas, podem livrar-se de sofrer de forma horrível e morrer permaturamente? Importam-se com isso, minimamente? Ou todas essas vidas são para vocês “o mesmo que nada”? E, já agora, as campanhas de abstinência têm melhores resultados a reduzir a Sida? Bem me parecia.

Por último, a quem acha que o que o Papa disse não é desprezível, deixo-vos este desafio: se Deus não existisse (eu estou convencido de que não existe, mas, no vosso caso, “imaginem-no” durante um pouco), a afirmação do Papa teria mesmo assim algum valor ético e moral positivo, em termos puramente humanos? Faria, na mesma, algum bem ao mundo? Ajudaria a reduzir a Sida? Aliviaria o sofrimento e evitaria a morte prematura de milhões? Seria louvável? Se sim, porquê? E, se não, já pensaram no que isso diz sobre a moralidade do deus que adoram?

P.S. – se a vossa resposta for “sim, porque senão aquela gente toda vai ter sexo, sexo e mais sexo, e vai ter prazer nisso, e isso enoja-me, enoja-me, enoja-me!”, lamento sinceramente o que os vossos pais vos fizeram na infância, mas é possível ultrapassar isso com ajuda psicológica / psiquiátrica.

Papa: preservativos *pioram* o problema da sida

Terça-feira, 17 de Março, 2009

Fonte: Times Online

Aids “is a tragedy that cannot be overcome by money alone, and that cannot be overcome through the distribution of condoms, which even aggravates the problems”.

Agrava? Como?

Nope, ele não diz. Mas, claro, propõe uma “solução”…

He said the “traditional teaching of the Church” on chastity outside marriage and fidelity within it had proved to be “the only sure way of preventing the spread of HIV and Aids”.

Claro. Uma solução que não venha deles, por muito eficaz que seja, não é solução. Se a deles é irrealista e está provado que é ineficaz… paciência. Admitir que há uma opção melhor era abdicar do controlo que ainda têm sobre grande parte do mundo. E é impressionante como não têm problemas em provocar o sofrimento e a morte de milhões. Bem, quando se acredita que o sofrimento em vida é irrelevante – ou seja, quando se é um culto da morte –, isto faz todo o sentido.

E, ei, pelo menos são coerentes

Como lidar com literalistas bíblicos

Domingo, 15 de Fevereiro, 2009

Adorei este artigo.

Se por um lado não desejaria que tal praga entrasse no meu país (felizmente, parece ser um fenómeno Americano, pelo menos a versão Cristã – o caso do Islão é outra história), por outro lado quase que tenho pena de não encontrar uns por cá, e, como o autor do artigo fez, fazê-los passar por uma merecida humilhação em público. Afinal, se eles dizem que a Bíblia é 100% a palavra de Deus, sem excepções nem contradições…

Lucas 6:30, palavras de Jesus:

Dá a todo o que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho reclames.

Curiosamente, não estou a ver nenhum líder evangélico a dar-me o seu avião particular, ou as suas limusinas, ou os biliões ganhos em dízimos, só porque eu lhe peça. Lá se foi o literalismo bíblico… 🙂

Conhecimento Bíblico: não fui perfeito, mas…

Domingo, 1 de Fevereiro, 2009

… pelo menos posso gabar-me de não ter googlado nada; foi tudo respondido depressa, sem mudar de tab no browser. 🙂

You know the Bible 81%!

 

Wow! You are truly a student of the Bible! Some of the questions were difficult, but they didn’t slow you down! You know the books, the characters, the events . . . Very impressive!

Ultimate Bible Quiz
Take More Quizzes

Nada mau para um ateu fanático radical estridente. 🙂

A tua moralidade vem da Bíblia?

Sexta-feira, 30 de Janeiro, 2009

Eis o meu caso…

Your morality is 0% in line with that of the bible.

 

Damn you heathen! Your book learnin’ has done warped your mind. You shall not be invited next time I sacrifice a goat.

Do You Have Biblical Morals?
Take More Quizzes

P.S. – se por um lado o teste é divertido (e preocupante por eu apanhar as referências todas, sendo ateu, quando aposto que muitos crentes não o fariam), por outro lado acho que há pouca variedade nas respostas.

SPOILER (seleccionar com o rato até ao ponto final que se segue): há sempre duas mais ou menos civilizadas, e uma Bíblica, muitas vezes escolhida por ser uma atrocidade e/ou absurda. Em geral, esta é a última das três.

Falar com Deus

Terça-feira, 20 de Janeiro, 2009

“O presidente dos Estados Unidos1 afirmou, em mais de uma ocasião, estar em diálogo com Deus. Se ele dissesse que estava a falar com Deus através do seu secador de cabelo, isto precipitaria uma emergência nacional. Não consigo perceber porque é que o acréscimo de um secador de cabelo torna a afirmação mais ridícula ou ofensiva.”

— Sam Harris, “Letter to a Christian Nation”

  1. isto foi escrito em 2006, logo refere-se ao Bush, que realmente dizia coisas destas a todo o momento []

Se a Bíblia Cristã é a palavra de Deus…

Segunda-feira, 19 de Janeiro, 2009

Triangulum.nebula.full … então o criador do universo, do cosmos em toda a sua imensidão, que criou divinamente planetas, estrelas, galáxias, quasares, pulsares, nebulosas e buracos negros… autor das leis universais da física… um ser mais antigo do que o tempo e o espaço, que existia antes de o próprio universo existir… um ser de poder, inteligência e sabedoria infinitos… é obcecado pelos nossos órgãos genitais.

Incrivelmente, os milhares de milhões de Cristãos em todo o mundo não parecem ver nenhum problema nesse “facto”.

Scary world.

Infalibilidade Bíblica

Quinta-feira, 15 de Janeiro, 2009

Não consegui resistir, isto está delicioso. 🙂

A ideia da infalibilidade Bíblica não é, felizmente, grande praga em Portugal (os crentes, por cá, são relativamente apáticos: “existe um deus, reza-se para pedir coisas, e age-se de forma conservadora e anti-progresso”), mas nos EUA, uma percentagem de dois dígitos da população (estamos, portanto, a falar de várias vezes a população portuguesa) acredita que a Bíblia cristã é 100%, literalmente, a palavra de Deus, sem quaisquer erros ou contradições (e acreditam nisso apesar de nunca terem, na sua maioria, eles próprios lido a mesma). E a lógica deles é…

infallible-bible

Segundo nível do Inferno de Dante. Nada mau. :)

Domingo, 10 de Junho, 2007

The Dante’s Inferno Test has banished you to the Second Level of Hell!
Here is how you matched up against all the levels:

Level Score
Purgatory (Repenting Believers) Very Low
Level 1 – Limbo (Virtuous Non-Believers) Very Low
Level 2 (Lustful) Very High
Level 3 (Gluttonous) High
Level 4 (Prodigal and Avaricious) High
Level 5 (Wrathful and Gloomy) High
Level 6 – The City of Dis (Heretics) Very High
Level 7 (Violent) High
Level 8- the Malebolge (Fraudulent, Malicious, Panderers) Moderate
Level 9 – Cocytus (Treacherous) High

Take the Dante’s Divine Comedy Inferno Test

“Lustful”? Moi?
🙂