Arquivo da Categoria ‘Jogos de consola’

Press Play On Tape: “The Man With The Gun”

Quarta-feira, 10 de Março, 2010

Nada como um pouco de escapismo (e videojogos) para uma pessoa se sentir bem. 🙂

“There’s one place where I am the king”, indeed.

(“não vejo vídeo nenhum”, “blablabla“)

Painkiller Sixty-Nine

Sábado, 18 de Abril, 2009

Acabei de conseguir chegar ao fim, pela primeira vez, na última música do modo de carreira do Rock Band 2, como vocalista, em modo Hard:

Pontuação? 69%.

Man, I love Judas Priest. 🙂

O que ando a fazer (4ª semana de Fevereiro)

Sexta-feira, 27 de Fevereiro, 2009
  • A ouvir: muita variedade: muitos Dio-based Black Sabbath, mas também ouvi coisas como Beatallica, Doro, Guns n’ Roses ou Leonard Cohen.
  • A ler: Continuo no “Equal Rites” do Pratchett (o tempo continua a ser pouco, já que em geral é preciso 1) estar a comer fora, e 2) estar a fazê-lo sozinho), comecei a ler a novelização do “The Incredible Hulk” pelo Peter David (filme que ainda não vi, mas pelo que estou a ler parece ter mais a ver com a era Bruce Jones do Hulk do que a original do Stan Lee, a do Bill Mantlo, ou mesmo a do próprio David), além de, à mesa, estar envolvido no “Essential The Rampaging Hulk” (comic), quase todo pelo Doug Moench, e até agora bem bom, com uma história do Jim Starlin lá pelo meio que é absolutamente brilhante.
  • A jogar: esta é fácil: “Chrono Trigger”. A sério, uma pessoa tem um jogo destes por acabar e pensa sequer em jogar outra coisa? 🙂

Olhem o que me chegou ontem…

Terça-feira, 17 de Fevereiro, 2009

Chrono Trigger DS

 

Um clássico entre os clássicos; o meu RPG japonês preferido. (“Final quê?”) Com os filmes do port de Playstation, novos extras, e uma tradução melhorada em relação à de 1995. De um momento para o outro, a questão “o que é que vou fazer agora?” desparece por umas semanas. 🙂

O que ando a fazer (3ª semana de Fevereiro)

Segunda-feira, 16 de Fevereiro, 2009
  • A ouvir: andei a deliciar-me com o DVD dos Heaven And Hell, em casa. De resto, não tenho ouvido muita música – é mais no carro, a ir e voltar do trabalho. Hoje, por exemplo, vim a ouvir Kamelot.
  • A ler: continuo no “Equal Rites” do Terry Pratchett e já avancei mais de 2/3 no “Personal Development for Smart People” do Steve Pavlina. Em BD, comecei ontem a ler o “Omega the Unknown” do Steve Gerber e Mary Skrenes; bem esquisito (no bom sentido) e um pouco hippie, como quase tudo o que o Steve “Howard the Duck” Gerber alguma vez fez. Também tenho andado a ler vários livros que tenho sobre papagaios.
  • A jogar: finalmente acabei o “Ace Attorney 3” pela segunda vez. Continuei o “Advance Wars: Days of Ruin” e voltei a pegar no “Fire Emblem: The Sacred Stones” na GBA (já que descobri que o meu cartucho do primeiro “Fire Emblem” deixou de conseguir gravar posições, pelo que tive de ir para o segundo jogo); anyway, está a ser óptimo, se bem que bastante difícil, como é normal na série. Na Xbox 360 saiu na Live Arcade, e comprei logo, o “R-Type Dimensions”, um remake dos R-Types 1 e 2, com novos gráficos 3D (mas opção de jogar com os originais), a possibilidade de jogar com vidas infinitas para conseguir ver o jogo todo (a pontuação aí é inversamente proporcional ao número de vidas perdidas) e um modo cooperativo que não existia nos originais. É, no entanto, muito mais difícil e rápido do que eu me lembrava…

O que ando a fazer (2ª semana de Fevereiro)

Segunda-feira, 9 de Fevereiro, 2009
  • A ouvir: ao contrário da semana anterior, não andei focado especificamente numa banda ou género musical; segundo o last.fm, ouvi mais Death, Accept, Gamma Ray, Andi Deris e Jean Michel Jarre. Claro que o last.fm não apanha o que ouço no carro (ainda!), mas as viagens têm sido suficientemente curtas para não andar a ouvir álbuns inteiros (coisa que sempre preferi, ao contrário das “massas”, que preferem ouvir “hit singles”, e cujas colecções de MP3s em geral incluem 1-3 músicas de cada álbum).
  • A ler: acabei o “The Light Fantastic”, e comecei o “Equal Rites”, também do Terry Pratchett. Estou a gostar cada vez mais do autor. Não avancei mais no livro do Steve Pavlina por falta de tempo, mas tenho andado também a reler partes do “Usagi Yojimbo”, do Stan Sakai, e tenho mesmo de encomendar o resto dos paperbacks (arranja-se quase tudo na net, mas não é a mesma coisa, além de que me sinto estranhamente mal por estar a roubar uma obra em um dos principais temas é a honra e a integridade).
  • A jogar: avancei mais no “Grand Theft Auto 4” e no “Ace Combat 6”, mas neste momento estou encalhado em ambos, curiosamente em missões compridas e nas quais não dá para gravar o jogo a meio. Isto é algo infelizmente muito frequente nos jogos, para esticar artificialmente o tamanho dos mesmos e poder dizer “40-60 horas” na parte de trás da caixa; esquecem-se de que nem toda a gente tem 15 anos e mais tempo livre do que consegue usar. Não vou desistir, mas realmente dá menos vontade de pegar num jogo quando sabemos que vamos ter de passar os primeiros 5-10 minutos a repetir uma missão que já tentámos mais de 10 vezes, e a qual provavelmente não vamos passar nas primeiras vezes. Ainda por cima, a missão no “Ace Combat” é de “stealth”… pessoal, este não é o género de jogo certo para isso! Anyway, além desses, joguei o início do “Fallout 3”, continuei o “Oblivion” (tudo isto na 360, até agora), e, na DS, continuei o “Ace Attorney 3”, e voltei a pegar no “Advance Wars: Days of Ruin” (conhecido como “Dark Conflict” na Europa, mas eu li previamente que a tradução americana estava muito melhor (foram feitas por equipas diferentes), e preferi essa). Por último, na Wii finalmente experimentei o “Endless Ocean”, jogo que quero explorar (literalmente 🙂 ) com mais tempo.

Fallout 3 para a Xbox 360 a 29 euros na Fnac do Colombo!

Quarta-feira, 4 de Fevereiro, 2009

Fallout 3 (caixa) De vez em quando, há surpresas agradáveis. Sem ter intenção de comprar fosse o que fosse na Fnac (fui lá só levantar o portátil… pois é, já o tenho! Mas vou ter de passar horas a reconfigurar tudo de raiz…), passei naturalmente pela micro-secção de jogos de Xbox 360 (que até dá pena, ao compará-la com a de PS3… os portugueses são mesmo incultos, compram algo só pelo nome… 🙁 ), e qual não é o meu espanto quando vejo o Fallout 3, um jogo bem recente (fim de 2008) e com notas altíssimas na crítica, por… 29 euros!

Havia outros jogos lá em promoção, com a tal etiqueta vermelha, mas eram todos jogos bastante mais antigos (ex. PES 2008) ou jogos de que nunca ouvi falar. Mas este… bem, é o Oblivion num futuro pós-apocalíptico com um delicioso humor negro. É o número 3 de uma série popularíssima, cujos fãs esperaram 10 anos desde o número dois. É, por tudo o que tenho lido (tenho o jogo aqui, mas estou no trabalho até à noite) uma obra de arte.Fallout 3

Daí o mistério. Será que alguém se enganou? (Na Worten estava ao preço normal de uns 68 euros) Ou será que um jogo destes realmente não vende em Portugal, porque não é um clone do Counter-Strike, nem envolve carros ou futebol? Se assim for, é deprimente…

Anyway, já o tenho. Não o vou começar a sério logo à noite (quero acabar o GTA 4 e o Ace Combat 6 primeiro), mas claro que quero ver como é que ele se mexe. 🙂

O que ando a fazer (1ª semana de Fevereiro)

Terça-feira, 3 de Fevereiro, 2009

Estou a pensar começar, com este, uma série de posts regulares sobre o tema descrito no título. É bem possível que eventualmente me farte, e é bem provável que ocasionalmente salte semanas. Além disso, estes posts têm a ver com entretenimento:  livros, videojogos, filmes, música, e afins. Questões diferentes, quando as quiser partilhar com os meus infindáveis 🙄 leitores1, terão os seus próprios posts.

Anyway:

  • A ouvir: Death, sobretudo. Refiro-me à banda Death, e não a todo o género death metal. Depois de me ter realmente irritado / ficado triste (para mim há pouca diferença) há uns dias, comecei a ouvir isso no carro2, e, mesmo já tendo resolvido essa questão (andando, por isso, normalmente bem), tem-me apetecido continuar a ouvir o infelizmente falecido Chuck Schuldiner e companhia. Tenho ouvido, sobretudo, os álbuns “The Sound of Perseverance” (ainda o meu preferido, e o primeiro que comprei deles, na altura sem os conhecer de lado nenhum), “Symbolic” e “Human”.
  • A ler: “The Light Fantastic” do Terry Pratchett no telemóvel (ou seja, quando almoço fora de casa, sozinho), e “Personal Development for Smart People” do Steve Pavlina, na cama. Este último terá mais uns posts sobre ele, em breve, mas posso já adiantar que estou a adorá-lo, e ainda não vi nenhum do misticismo new age que às vezes poluía o brilhantismo do blog dele. É mesmo um livro muito inteligente e honesto sobre como nos melhorarmos a nós próprios e às nossas vidas. Quem me conhece perguntará: e então quando comes em casa? Bem, isso inclui-se na secção seguinte, actualmente…
  • A jogar: “Phoenix Wright Ace Attorney: Trials and Tribulations” na DS, quando como sozinho em casa. Joga-se perfeitamente bem com a caneta, pelo que é óptimo para jogar enquanto como. 🙂 Só o acabei uma vez, quando o comprei há mais de um ano, e estou a adorar voltar ao que é, para mim, ainda o melhor dos 4 jogos da série. De resto, na Xbox 360 ando ocupado com o “Grand Theft Auto 4” e “Ace Combat 6: Fires of Liberation”, e comecei também recentemente o “Half Life 2”, do pacote “Orange Box”, que nunca joguei na vida. Acabei de apanhar o pé-de-cabra, mas fico por aqui até acabar um dos outros dois, que já requerem atenção suficiente.
  1. isto porque vocês são muito altos, naturalmente. []
  2. até hoje, e já ouço música há uns bons anos, ainda não descobri nada que me “tirasse da fossa” tão bem, que me fizesse sentir tão rapidamente melhor, do que música extremamente pesada, complexa e técnica, em especial Death, e em especial o “Sound of Perseverance”. Nunca vou entender como é que a maior parte das pessoas ouve música triste (é como curar uma doença apanhando outra) ou alegre (já é melhor, mas, se estamos mesmo mal, parece-nos algo falso, artificial)… []

Os jogos da minha vida

Sexta-feira, 23 de Janeiro, 2009

Sem ser por qualquer ordem:

 

Star Control 2
Star Control 2 (PC)
Doomdark's Revenge
Doomdark’s Revenge (ZX Spectrum)
Planescape: Torment
Planescape: Torment (PC)
Sid Meier's Alpha Centauri
Sid Meier’s Alpha Centauri (PC)
Lords of Midnight
Lords of Midnight (ZX Spectrum)
Gabriel Knight: Sins of the Fathers
Gabriel Knight: Sins of the Fathers (PC)
Chaos 
Chaos (ZX Spectrum)
Rock Band 2
Rock Band 2 (Xbox 360)
Wii Sports
Wii Sports (Wii)
Laser Squad
Laser Squad (ZX Spectrum)
Gridrunner++
Gridrunner++ (PC)
Gridrunner++
Ultima VII (PC)

 

Este sou eu.

OK, não sou isto. Mas é uma parte de mim – e do que eu sou – bem maior do que “o gajo gosta de jogar de vez em quando quando não tem mais nada para fazer”. 🙂

Novo fórum português de Nintendo

Sábado, 1 de Setembro, 2007
NintenForum-PT: fórum de Nintendo em Portugal

Alguns dos meus leitores regulares, possivelmente, estavam cientes que eu administro, há quase um ano, um fórum sobre a Nintendo DS, o NDS-PT.

Já há uns dias que andava a pensar expandi-lo para incluir também a Wii (que já tinha secções, mas estas eram estavam em segundo plano, já para não falar do nome do fórum). Outra hipótese era tornar o fórum mais geral sobre a Nintendo, mas estava reticente em fazê-lo, por já existir um fórum maior e mais antigo, o NintendoPT, e dessa forma eu ir entrar em competição com eles.

Coincidentalmente, há 2 dias o NintendoPT acabou (de uma forma meio estranha, diga-se), pelo que, sem querer agir muito como um “abutre”, preferi (com o apoio dos membros do NDS-PT) seguir a hipótese que já tinha pensado, de tornar o fórum sobre a Nintendo em geral. Creio que neste momento é o maior do país. 🙂

Assim sendo, without further ado… NintenForum-PT – fórum de Nintendo em Portugal. Enjoy. 🙂

20061121

Terça-feira, 21 de Novembro, 2006

Pequenos progressos são progressos, não são? 🙂

Infelizmente, tenho escrito pouco aqui no Ostras, porque a minha atenção tem andado dividida pelos outros blogs e sites, e pelo Gyakuten Saiban 2. 🙂 Neste último, já vou no início do 3º caso, mas agora é que vêm os mais difíceis, por isso ainda vai dar alguma luta. 🙂

Tenho neste momento um servidor virtual nos EUA, para ver se o tráfego vindo de motores de busca (em especial, do Google americano/internacional) muda. Já passei para lá o Way of the Mind, que também mudou de domínio (agora é www.wayofthemind.org em vez de wayofthemind.dehumanizer.com), e criei o meu 3º fórum, obviamente associado ao WotM: o Way of the Mind Forum! Este último já conta com 50 posts em 2 dias, o que é bastante promissor; até agora, ainda não está nos motores de busca, e conta apenas com alguns dos “regulares” do WotM, mas acho que vai mesmo ser um sucesso… e ainda por cima uma fonte de discussões bastante interessantes. Tenho adorado participar em algumas. 🙂

Infelizmente, só terei resultados da experiência de mudar o WotM para os EUA daqui a umas semanas. Mas, se tudo correr bem, devo mudar para lá os meus outros blogs e sites em inglês. Os na nossa língua vão continuar aqui. 🙂

Entretanto, o blog de desenvolvimento pessoal não vai arrancar tão cedo. Acho que o que actualmente (atenção a essa qualificação!) teria para dizer no mesmo não é suficiente para fazer dele um sucesso, ou mesmo simplesmente algo que “faça falta” na Internet. Devo, no entanto, criar outro blog num futuro próximo… mas isso logo se verá. 🙂

De resto, estou bastante entusiasmado com a chegada da Nintendo Wii, dia 8 de Dezembro. A consola vai mesmo ser um espectáculo. 🙂

Regresso?

Terça-feira, 13 de Junho, 2006

Sim, eu sei que não tenho andado muito por aqui, nem pelos outros blogs. Falta de tempo, de energia, de disponibilidade… além de que, quando se interrompe uma coisa, a cada dia que passa torna-se mais difícil regressar (“o que é que eu vou escrever para explicar a ausência de quase 2 meses?”).

Mas… paciência. Não é que este seja um post brilhante :), mas os próximos vão ser. E pelo menos já ultrapassei a barreira inicial.

O que é que andei a fazer durante este tempo todo? Nada do outro mundo. Fiquei sem carta de condução, e só a recupero para a semana; tenho ido para o trabalho graças à boleia de uma simpática colega que, por acaso, é minha vizinha. Fui passear durante uns dias, para o norte do país, tendo visitado sítios como Unhais da Serra, Guarda, Foz Côa, Bragança e Alcanena. Adorei as férias, foram uma maravilha… e não, não fui sozinho. 😉

O trabalho continua, basicamente, o mesmo, se bem que até me têm chateado menos do que habitualmente. Houve uma semana em que até tive de fazer alguma programação, o que é, sem dúvida, infinitamente mais interessante do que as habituais tarefas tipo “Marvin, can you pick up that piece of paper?” (fica sempre bem citar o Douglas Adams). Here I am, brain the size of a planet… 🙂

Anyway. Não tenho jogado imenso. Mount&Blade, e desde hoje Hearts of Iron 2: Doomsday em PC, e alguns jogos na DS e GBA (Tetris, Resident Evil, Harvest Moon: Friends of Mineral Town, etc.).

Andei às voltas com uns estranhos crashes deste servidor, mas acredito que já estão resolvidos. Vamos ver se é desta.

E por agora é tudo. Vou ver se amanhã arranjo tempo para escrever nos outros. 🙂

20060313

Segunda-feira, 13 de Março, 2006

Mais um título brilhante. 🙂

Finalmente, já estou a ultrapassar a dependência do café – já não me dói a cabeça. Very nice. 🙂

Acabei o Metroid Fusion. Finalmente! Foi um fim heróico – depois de ter pedido ajuda aos meus irmãos para cuidar de um dos botões – estava-me a faltar a concentração necessária para fazer tudo aquilo ao mesmo tempo – acabei por o conseguir, sozinho. Nem foi assim tão difícil, afinal – eu é que estava a fazer a coisa da forma errada.

Vou agora passar para o Metroid: Zero Mission, e continuar o Advance Wars e o Fire Emblem (este último está lindo). Depois… vou acabar o resto dos jogos que tenho. Ando a comprar mais do que jogo, o que não é bom – é altura de parar um bocado, e jogar o que já tenho. A mesma coisa em relação a livros.

Vi dois filmes no fim de semana: o “Pink Floyd – The Wall” e o “Land of the Dead“. Adorei os dois, se bem que, obviamente, por razões diferentes. O primeiro, nem sei como é que conseguiram fazer aquilo sem o censurarem – é muito perturbante, sobretudo conhecendo já o álbum e as letras das músicas. Além de que tem certas imagens que são mesmo… bem, não vou spoilar a coisa. O filme é como um videoclip do álbum inteiro, no fundo – não é um filme “normal”. Para quem goste da música, e não seja impressionável, recomendo.

O “Land of the Dead”, versão Director’s Cut, do grande George A. Romero… brilhante. Um bocado mais comercial do que os outros 3, mas ainda é claramente *dele*, os efeitos são óptimos, tem alguns actores conhecidos, e é óptimo voltar a ver zombies “clássicos” – não correm, não falam, e não comem só os cérebros. E continua bem o plot do “Day of the Dead”… e mais não digo sobre isso. 🙂 Não é um filme de terror – é, tal como os outros filmes do Romero, uma crítica social… com zombies. Acho que todos os filmes deviam ter zombies! 🙂 Comédias com zombies, romances com zombies, guerra com zombies, acção com zombies, terror com zombies (!), drama com zombies, ficção científica com zombies, filmes históricos com zombies…

O almoço de sábado correu bem, se bem que as iscas não foram tão boas como habitualmente. Na próxima terei de em empenhar mais na coisa – acho que tenho de ser mesmo eu a virá-las, e os temperos foram deficientes. Estavam boas, mas não estavam óptimas – e eu consigo fazer iscas “óptimas”. Hmm, iscas.. já estou a ficar com fome. 🙂

Um fim de semana muito Metroid

Segunda-feira, 6 de Março, 2006

O fim de semana que acabou de passar foi muito Metroid.

Hã? O que é “um fim de semana Metroid”? E, já agora, o que é um Metroid?

Um Metroid é isto: Metroid

Simpáticos, não são? Provavelmente até davam uns bons peluches. 🙂 Mas são criaturas perigosíssimas que sugam a nossa força vital!!!

Bem, no fim de semana, avancei imenso no brilhante Metroid Fusion, estando já pertíssimo do fim do jogo. Espero acabá-lo nos próximos dias e, de seguida, passar ao Metroid: Zero Mission. O Fusion é lindo:

Metroid Fusion

Já não jogava jogos deste género, em grande parte, desde os tempos do Spectrum, e está a ser óptimo.