Arquivo da Categoria ‘Pessoal’

Face Your Manga

Sábado, 28 de Fevereiro, 2009

Andava há meses com curiosidade sobre de onde é que vinham as várias caras estilizadas de várias pessoas que conheço, muito usadas em Twitters, blogs, agregadores de blogs e coisas do género. Mas nunca perguntei às várias pessoas, talvez por querer descobrir isto sozinho, talvez, paradoxalmente, por preguiça de o fazer (é mais fácil googlar do que meter conversa com alguém com quem não falo há meses, e passar por todos os “olás como estás, o que tens feito”… já sei, sou um anti-social nojento). Não é que tenha passado meses a procurar isto; lembro-me de há tempos ter googlado por “face generators” ou “face creators”, e variantes disso, mas não achei este, especificamente.

Mas hoje, finalmente, cheguei lá. É o Face Your Manga, e é bem fácil de usar.

Aqui está o meu auto-retrato, feito em menos de 5 minutos (um pouco optimista em relação ao comprimento do cabelo, que ainda está a um mês ou dois de chegar aí, mas é preciso pensar no futuro, e essas coisas):

deh-manga-avatar

Mais um agradecimento relativamente às mini-férias…

Quinta-feira, 26 de Fevereiro, 2009

… mas um mais “geeky” do que os anteriores. 🙂 Refiro-me a este rapaz simpático:

TomTom GO 530 Trata-se de um TomTom GO 530, com a versão 815 do mapa da Península Ibérica, mais todas as actualizações de MapShare até à altura, e vários pacotes de pontos de interesse do PortalPPC. Portou-se impecavelmente bem nas duas viagens, e nos vários dias em que estive em terras tripeiras, conhecendo praticamente tudo o que o mandei encontrar, desempenhando sem problemas tarefas como “onde está o restaurante / bomba de gasolina / multibanco mais próximo”, e não falhando de modo geral em nada (se bem que não conheceu uma estrada mais recente, mostrando esse espaço como completamente a verde, e, naturalmente, não sabia que algumas ruas em Gaia estavam temporariamente cortadas devido a obras, que segundo me disseram eram bem recentes – além de que duvido que alguém naquela zona tivesse reportado os cortes ao MapShare…). Ainda por cima permitiu-me ouvir toda a música que quis sem ter o carro cheio de CDs (já que não ouço rádio), graças ao leitor de MP3s e emissor de FM.

Quem me conhece pessoalmente já me ouviu dizê-lo, mas repito-o aqui: isto é a única forma “civilizada” de conduzir. 🙂

Teste de “tripeirês”, carago!

Quarta-feira, 25 de Fevereiro, 2009

A simpática leitora Sara mencionou este teste num comentário:

http://kaser.nsk.pt/puorto.htm

Ainda não o fiz, mas já o li (o que é bem mais rápido) e vi que, sem ser aquelas que toda a gente em Lisboa conhece (cimbalino, fino, francesinha, etc.), não sei mesmo nenhuma! Imagino que indo lá por dedução (ou sorte) vou falhar quase tudo…

No entanto, depois de 4 dias no Porto, tendo nalguns convivido maioritariamente com os nativos, não ouvi nenhuma dessas expressões (caso contrário teria perguntado, como faço sempre, e depois de o fazer não me esqueceria), pelo que imagino que sejam usadas mais por pessoas noutras faixas etárias, ou nalgumas zonas específicas.

Uma que não está no teste e que me confundiu um bocado — e que os portistasportuenses efectivamente usam no dia-a-dia — é “dar o mote”. 🙂

De volta de terras tripeiras…

Quarta-feira, 25 de Fevereiro, 2009

… e de volta ao trabalho, o que não é assim tão fascinante, mas sobrevive-se.

Adorei mesmo estas mini-férias – tanto pelas pessoas que revi e conheci, e que em geral foram tão simpáticas e generosas para comigo, como pelo outro lado da questão: mudar de ares, sair da rotina habitual, e conhecer coisas novas.

O que significa, naturalmente, que quero mais.

Mais e mais.

Mas, mesmo tendo uma oferta de alojamento tão generosa e simpática como tive desta vez, uma coisa destas envolve sempre dinheiro, o que não abunda exactamente na minha vida. É, então, algo a resolver. Felizmente, tenho algumas ideias para aumentar os lucros fora do emprego, que espero pôr em prática nos próximos dias, com resultados palpáveis nos próximos meses.

Quanto às férias em si, não há grandes fotos (pelo menos tiradas por mim), mas talvez ainda vos consiga mostrar alguma coisa nos próximos dias. Stay tuned…

Quase de mini-férias…

Sexta-feira, 20 de Fevereiro, 2009

Hoje, ao fim do dia, vou para o Porto, passar os próximos 4 dias. Já não tenho férias desde Julho, e não conheço nada do Porto, pelo que estou bastante entusiasmado com isto. 🙂 Ainda por cima vou rever pessoas que não vejo há anos, e conhecer pessoas novas.

É no entanto possível que ainda escreva alguma coisa aqui durante esses dias, já que levo o Eee PC (o outro está – outra vez… – a arranjar). Não é a coisa mais prática do mundo, mas ainda dá mais jeito do que um telemóvel. 🙂

Algumas peripécias

Sexta-feira, 13 de Fevereiro, 2009

Ontem fui jantar com os ex-colegas da Oni, que já não via há uns bons anos. Foi divertido, se bem que fico sempre inevitavelmente com a sensação de que estão todos melhor em termos de carreira do que eu. Oh well… a minha carreira não é a minha vida, é apenas um passo no meu inevitável domínio do mundo.

Ao voltar para casa, já perto da mesma, sou parado pela polícia numa operação stop! Isto depois de eu ter bebido um bom bocado ao jantar. Não estava a cambalear nem com a voz arrastada, nem estava a conduzir de forma diferente, mas, como toda a gente sabe, eles estão-se nas tintas para tudo isso; a única coisa que conta é a proporção de álcool no sangue. E, considerando os limites baixíssimos, eu sei que acusaria… e já estava a ver que ia ficar sem carta, pagar multas, e quem sabe pior.

Felizmente, o agente, que por sinal foi bem mais simpático do que outros que apanhei no passado (que demonstravam uma prepotência e antipatia colossais), depois de ver que tinha todos os documentos em ordem, disse-me para seguir. Foi bom voltar a respirar. 🙂 De qualquer forma, se eles andam a fazer coisas destas numa quinta-feira às 23h, e fora de Lisboa, quer dizer que isto está mesmo bem perigoso. Quem faz estas leis deve ter acções em empresas de táxis…

Entretanto, hoje tirei a manhã para tratar de várias coisas no banco, e, depois de tratar de duas delas, vi-me impossibilitado de conseguir um identificador da Via Verde para o 2º carro. Estão a ver as “Outras formas de aderir”? É bullshit; a maioria dos bancos, pelo que me disseram, não recebem identificadores novos há imenso tempo, e não têm nenhum lá. Não sei se é culpa dos bancos ou da Via Verde, mas o que é certo é que é esta que está a anunciar uma facilidade que na verdade praticamente não existe. Fui a 4 bancos diferentes; os primeiros não tinham, e o último tinha, mas não tinham pessoas a atender em várias das secções, havia várias pessoas à minha frente com ar de não estarem com pressa nenhuma (deve ser bom estar reformado), e já se fazia tarde; afinal, só tinha pedido a manhã no trabalho. Portanto, não obtive sucesso; vou tentar ver se consigo nos próximos dias, já que fazia mesmo jeito ter este brinquedo no passeio que vou dar no fim de semana a seguir a este.

Judas Priest, Megadeth e Testament no Pavilhão Atlântico a 17 de Março!

Sexta-feira, 6 de Fevereiro, 2009

Rob Halford (Judas Priest) 

 

Detalhes aqui. Quem é que me faz companhia? 😉

Fallout 3 para a Xbox 360 a 29 euros na Fnac do Colombo!

Quarta-feira, 4 de Fevereiro, 2009

Fallout 3 (caixa) De vez em quando, há surpresas agradáveis. Sem ter intenção de comprar fosse o que fosse na Fnac (fui lá só levantar o portátil… pois é, já o tenho! Mas vou ter de passar horas a reconfigurar tudo de raiz…), passei naturalmente pela micro-secção de jogos de Xbox 360 (que até dá pena, ao compará-la com a de PS3… os portugueses são mesmo incultos, compram algo só pelo nome… 🙁 ), e qual não é o meu espanto quando vejo o Fallout 3, um jogo bem recente (fim de 2008) e com notas altíssimas na crítica, por… 29 euros!

Havia outros jogos lá em promoção, com a tal etiqueta vermelha, mas eram todos jogos bastante mais antigos (ex. PES 2008) ou jogos de que nunca ouvi falar. Mas este… bem, é o Oblivion num futuro pós-apocalíptico com um delicioso humor negro. É o número 3 de uma série popularíssima, cujos fãs esperaram 10 anos desde o número dois. É, por tudo o que tenho lido (tenho o jogo aqui, mas estou no trabalho até à noite) uma obra de arte.Fallout 3

Daí o mistério. Será que alguém se enganou? (Na Worten estava ao preço normal de uns 68 euros) Ou será que um jogo destes realmente não vende em Portugal, porque não é um clone do Counter-Strike, nem envolve carros ou futebol? Se assim for, é deprimente…

Anyway, já o tenho. Não o vou começar a sério logo à noite (quero acabar o GTA 4 e o Ace Combat 6 primeiro), mas claro que quero ver como é que ele se mexe. 🙂

O que ando a fazer (1ª semana de Fevereiro)

Terça-feira, 3 de Fevereiro, 2009

Estou a pensar começar, com este, uma série de posts regulares sobre o tema descrito no título. É bem possível que eventualmente me farte, e é bem provável que ocasionalmente salte semanas. Além disso, estes posts têm a ver com entretenimento:  livros, videojogos, filmes, música, e afins. Questões diferentes, quando as quiser partilhar com os meus infindáveis 🙄 leitores1, terão os seus próprios posts.

Anyway:

  • A ouvir: Death, sobretudo. Refiro-me à banda Death, e não a todo o género death metal. Depois de me ter realmente irritado / ficado triste (para mim há pouca diferença) há uns dias, comecei a ouvir isso no carro2, e, mesmo já tendo resolvido essa questão (andando, por isso, normalmente bem), tem-me apetecido continuar a ouvir o infelizmente falecido Chuck Schuldiner e companhia. Tenho ouvido, sobretudo, os álbuns “The Sound of Perseverance” (ainda o meu preferido, e o primeiro que comprei deles, na altura sem os conhecer de lado nenhum), “Symbolic” e “Human”.
  • A ler: “The Light Fantastic” do Terry Pratchett no telemóvel (ou seja, quando almoço fora de casa, sozinho), e “Personal Development for Smart People” do Steve Pavlina, na cama. Este último terá mais uns posts sobre ele, em breve, mas posso já adiantar que estou a adorá-lo, e ainda não vi nenhum do misticismo new age que às vezes poluía o brilhantismo do blog dele. É mesmo um livro muito inteligente e honesto sobre como nos melhorarmos a nós próprios e às nossas vidas. Quem me conhece perguntará: e então quando comes em casa? Bem, isso inclui-se na secção seguinte, actualmente…
  • A jogar: “Phoenix Wright Ace Attorney: Trials and Tribulations” na DS, quando como sozinho em casa. Joga-se perfeitamente bem com a caneta, pelo que é óptimo para jogar enquanto como. 🙂 Só o acabei uma vez, quando o comprei há mais de um ano, e estou a adorar voltar ao que é, para mim, ainda o melhor dos 4 jogos da série. De resto, na Xbox 360 ando ocupado com o “Grand Theft Auto 4” e “Ace Combat 6: Fires of Liberation”, e comecei também recentemente o “Half Life 2”, do pacote “Orange Box”, que nunca joguei na vida. Acabei de apanhar o pé-de-cabra, mas fico por aqui até acabar um dos outros dois, que já requerem atenção suficiente.
  1. isto porque vocês são muito altos, naturalmente. []
  2. até hoje, e já ouço música há uns bons anos, ainda não descobri nada que me “tirasse da fossa” tão bem, que me fizesse sentir tão rapidamente melhor, do que música extremamente pesada, complexa e técnica, em especial Death, e em especial o “Sound of Perseverance”. Nunca vou entender como é que a maior parte das pessoas ouve música triste (é como curar uma doença apanhando outra) ou alegre (já é melhor, mas, se estamos mesmo mal, parece-nos algo falso, artificial)… []

No more eggs :(

Terça-feira, 3 de Fevereiro, 2009

Acho que era inevitável… os 3 ovos foram partidos, dentro do ninho, pelos parrotlets. 🙁

Vou tirar o ninho por agora, mas daqui a um mês ou coisa parecida volto a pô-lo lá. Dizem que à terceira é de vez… we’ll see.

Pássaros palermas! Vão chocar os ovos!

Domingo, 1 de Fevereiro, 2009

Pois é. Os 3 ovos continuam inteiros dentro do ninho, mas não vejo a Jana a chocá-los; continuam a viver a vida deles como se não fosse nada.

Não sou piriquito… hã… perito no assunto, mas o que acho provável é que, como estes ovos são provenientes de um acto sexual há umas semanas e foram postos no fundo da gaiola, ela na altura desistiu deles; agora, apesar de ter as condições para os chocar, não está a associar as coisas.

Ou é isso, ou ainda tem mais um ou dois para pôr (eles fazem-no de 2 em 2 dias), e só os começa a chocar aí. Mas tenho a ideia de que da outra vez ela passava muito mais tempo dentro do ninho, mesmo nesta fase.

Bem, vamos ver o que é que dá.

Death – "To Forgive is to Suffer"

Domingo, 1 de Fevereiro, 2009

Estou com um dia de atraso em relação ao meu estado de espírito, mas enfim… mais vale tarde, e essas coisas.

Throughout our time a thought
Escapes us to enforce a word, no
Holding on to pain it may seem to some

The easy way to say OK, twist your
Knife a little deeper
Words so sharp actions dark
Hide the blade of the deceiver.

Enforce the words no more, be free
Alone you might just find serenity.

To accept another day
We choose to give away
Another piece of life

To forgive is to suffer

Once or twice is kind
Three or four is blind
It is not the end yet a way to begin
The power of words both good and bad

– Death, “To Forgive is to Suffer”, 1998

Os Sites Que Leio Todos Os Dias

Sexta-feira, 30 de Janeiro, 2009

Sem ser por nenhuma ordem de prioridade:

  • Gmail: porque o email ainda é das formas de comunicação mais eficientes e usadas, e este, especificamente, funciona realmente bem.
  • Google Reader: muitos dos blogs, sites de notícias, webcomics e agregadores de blogs que me interessam são actualmente lidos por aí. Se neste momento tu (sim, tu) estás a perguntar porque é que não menciono o teu blog nesta lista, acabei de o fazer. 😉 Realço do que tenho ali agregado, por uma questão de volume e interesse geral, o Prt.Sc e o PlanetGeek, cada um deles agregador de imensos blogs portugueses na sua maioria “geeky”.
  • Planet Atheism: um agregador mantido por mim, que não leio pelo Google Reader (apesar de o poder fazer), com cento e tal blogs com temas ateus, ateu-agnósticos, cépticos, racionais e humanistas. Tenho sido um preguiçoso nojento a responder a pedidos de novos bloggers para entrar, mas mesmo assim o que há já me proporciona (e a mais algumas boas centenas de visitantes) leitura interessante – muitas vezes fascinante – todos os dias. Posso dizê-lo sem problemas, já que o autor dessa leitura fascinante não sou eu 🙂 (OK, tenho eu próprio um blog lá agregado, o Way of the Mind). Sabe muito bem ler racionalidade num mundo irracional e supersticioso.
  • Google News: Aqui o “todos os dias” talvez seja um pouco exagerado, visto que em geral é só quando está a acontecer alguma coisa de interessante. Por exemplo, nos últimos tempos das eleições nos EUA, ia lá várias vezes por dia (e a outros sites mais específicos sobre eleições e política). Agora isso “acalmou” um pouco, mas ainda vou ver o que se passa no mundo, ocasionalmente (já que não vejo televisão nem ouço rádio).
  • Estatísticas dos meus sites e blogs: ok, sou um viciado em estatísticas. Processem-me. 🙂

Nota: não incluo aqui alguns dos sites que mais visito, como a Wikipedia, pela simples razão que, usando esse exemplo, é um site que visito quando quero aprender / ler sobre alguma coisa, mas não costumo abri-la na página inicial todos os dias, como faço com os sites mencionados acima. Ou seja, provavelmente acabo por visitar a Wikipedia todos os dias, mas isso vem do facto de ler imenso e constantemente (ver lista acima), e de não saber tudo. 🙂

Mais membros da família… agora com ovos!

Sexta-feira, 30 de Janeiro, 2009

Blue e Jana (parrotlets)Estes são o Blue (à esquerda – e, sim, eles distinguem-se) e a Jana, os parrotlets (Forpus coelestis) que tenho desde a primavera de 2008. Esta foto foi tirada em Unhais da Serra, no verão do mesmo ano.

Já os pensava mostrar aqui no blog, depois de ter prostituíexibido o Kang aqui ontem, mas hoje tenho uma novidade sobre eles. 🙂 Já não olhava para o fundo da gaiola dos mesmos há vários dias, e qual não é o meu espanto quando vejo, não um, não dois, mas três ovos! Inteiros, ainda por cima (esta espécie é famosa por partir os próprios ovos, o que aconteceu na tentativa anterior, no fim do verão passado). Isto apesar de não haver um ninho na gaiola.

Naturalmente, isto significou que tive de retirá-los simpaticamente da gaiola, que procedi de seguida a limpar e lavar, e que agora ficou com um ninho cheio de serradura, onde depositei cuidadosamente os três ovos. Depois de eles voltarem à gaiola, começaram imediatamente a proteger o ninho de forma agressiva, o que mostra que eles perceberam a ideia… e, quando saí de casa, os ovos ainda estavam inteiros. Vamos ver se é desta… daqui a uns 20 dias saber-se-á.