Entradas com Etiqueta ‘Informática’

Quem diria…

Quinta-feira, 26 de Novembro, 2009

Não sei se isto é por ter pouquíssimo trabalho da minha área (administração de sistemas, Linux, etc.) no meu emprego, mas de há uns tempos para cá ando a achar ainda mais piada a coisas técnicas do que habitualmente. Além das mini-ferramentas, ando a redescobrir que realmente gosto de escrever artigos técnicos. Quem diria?

Bem, eu tenho fases. Se calhar daqui a uns tempos desenterro o Way of the Mind para escrever a sério sobre ateísmo e religião (se acham que já o faço muito aqui, think again…)

E talvez um dia destes volte a escrever sobre jogos… se bem que neste momento é complicado, porque isso implica ir arranjando novos jogos (mesmo que sejam “novos” apenas para mim), e eu realmente não gosto de “sacanços”… nem há dinheiro para gastar nisso, agora.

É oficial: estou à procura de emprego. :)

Terça-feira, 22 de Maio, 2007

Isto parece contradizer um bocado o que disse no post abaixo, mas, entretanto, cheguei à conclusão de que 1) apesar de me desenrascar bem, sou “júnior” demais em termos de programação, por enquanto, para ganhar decentemente, e 2) quem sabe, em algum lado no mundo (ou mesmo no país), exista alguém que não meça o desempenho por “quão ocupados parecemos”. 🙂

Assim sendo, estou, desde este momento, à procura de emprego na área de Lisboa.

Idealmente, gostaria de trabalhar como um “híbrido” de administrador de sistemas Linux “sénior” / programador PHP “júnior”, mas estou aberto a alternativas.

Como já disse em mais detalhe noutro sítio, não estou interessado em outsourcing, tecnologias Microsoft, ou helpdesk. Não encaro isto como “arrogância” da minha parte, mas apenas como uma forma de evitar que ambas as partes percam o seu tempo.

Para mais detalhes, incluindo o CV completo, é favor visitar: www.pedrotimoteo.com/cv . Obrigado. 🙂

Porque é que já não sou um Sysadmin

Terça-feira, 24 de Abril, 2007

Ontem escrevi, noutro blog, algo que já andava para escrever há um bom tempo: as minhas reflexões sobre os meus anos como administrador de sistemas Unix / Linux, as minhas razões para não o querer ser mais, e também um certo (mas ligeiro) desabafo sobre como isso é uma profissão que, em termos de satisfação pessoal e de carreira, é um “beco sem saída”, sobretudo para quem é competente e honesto.

Without further ado… Why I’m not a Sysadmin anymore.