Trinta e um…

… a idade não perdoa. 🙂


Bem, podia escrever aqui longas dissertações sobre como o aniversário é uma altura de reflexão, em que se pensa na vida, nos sonhos do passado, naqueles que foram concretizados e naqueles que não foram, nas espectactivas que eu tinha há, por exemplo, 10 anos atrás, como eu esperava que fosse a minha vida aos 31 e como é agora, e, sim, estou a andar um bocado à volta neste parágrafo, mas acho que escrever parágrafos longos tem sempre piada, e, sendo assim, vou continuar; podia escrever aqui sobre como me sinto, dizer que me continuo a sentir jovem, mais até que muitos que conheço com 5-10 anos a menos, porque, se por um lado acho meio “wishful thinking” aquela ideia de que somos jovens porque “acreditamos” que o somos, por outro lado, efectivamente, acho que a juventude é uma questão de “espírito” – espírito no sentido em que continuamos a manter a mente aberta a coisas novas, a querer aprender sempre mais, sem ficarmos “calcificados” nas nossas crenças, sem acharmos que já sabemos “que baste”, sem vermos a aprendizagem de coisas novas como “uma carga de trabalhos”; por outras palavras, não é uma questão de crença, mas de atitude – nunca devemos perder a curiosidade de uma criança, nunca devemos fechar as nossas mentes e estagnar; é isso que significa “ficar velho”.

E acho que o parágrafo já ficou suficientemente grande. 🙂

Não, a minha vida não é o que há 10 anos esperava que agora fosse. Não estou “happily married”, não tenho filhos, não sou rico, não tenho a minha própria empresa, não dominei o mundo nem o esmaguei no meu punho metálico (bwahahah!). Mas acho que a vida, apesar de tudo, vai bem. Tenho aprendido muita coisa, estou cada vez mais confiante nas minhas ilimitadas 😉 capacidades, e sinto, mais que nunca, que nada está fora do meu alcance. E tenho pessoas que realmente se importam comigo, o que é uma sensação estranha, mas boa.

Passo agora (acho que isto é uma tradição) à letra de uma bela música do Dio, “This Is Your Life”:

Who cares what came before
We were only starlight
One day, then nevermore
Because we’re whispers in the wind

Once upon a time
The world was never blind
Like we are

Right now it seems
You’re only dreams and shadows
If wishes could be eagles how you’d fly

This is your life
This is your time
What if the flame won’t last forever
This is your here
This is your now
Let it be magical

Who cares what came before
We’re only starlight

Once upon the time
All the world was blind
Like we are

This is your life
This is your time
Look at your world
This is your life

P.S. – Acho que o bolo saiu bem, se bem que só logo à tarde é que se vai ter a certeza. 🙂

3 Comentários a “Trinta e um…”

  1. xana diz:

    So para dizer uma palavrinha … PARABÉNS!!!!

  2. […] As today is my 31th birthday, naturally, I thought a bit about, well, what everyone (or close to that) thinks about in their birthday (at least after leaving adolescence). I wrote a little about it in my personal blog (in Portuguese), and there’s a bit I want to translate and say here. […]